Sunday, November 13, 2016

Existirá poesia?


(Para o parceiro Dalmir Lott)

Existirá poesia
Em um discurso do papa
Na fumaça de um Marlboro
Em um grito de socorro
ou num corpo largado na esquina?

Existirá poesia
num verso do apocalipse
na escuridão de um eclipse
no voo do homem morcego
No olhar crispado de medo
Ou no quadro da santa ceia?

Existirá  poesia
Na bula da xilocaína,
No rastro da cocaína
No gosto da fanta uva
No cheiro da camomila?

No sangue do conde drácula
Num gole de coca-cola
No menino que cheira cola
No aviso postado na placa
E no som de uma buzina?

Existirá poesia
na lâmina desta navalha?

No baton do colarinho
e no azul turquesa deste mar?

Existirá poesia
ou será tudo prosa e maresia?

4 comments:

Tania regina Contreiras said...


Beto, que lindo e que musical! Vou postar lá no face...

Beijos

Primeira Pessoa said...

Fico feliz que tenha gostado, Taninha.
Só aumenta a minha vontade de escrever.
Beijão procê

R.

marlene edir said...

Sempre! Também na prosa e maresia.
Que beleza de poema ritmado, Roberto!

Beijo!

Primeira Pessoa said...

prosa e maresia, quase um papo amigo num barzinho de praia.
Fico tão feliz pela sua presença aqui.

beijão do

R.