Friday, December 6, 2013

Trinta coisas que esqueci sobre mim mesmo


(Para Suzana Guimarães, precursora da lista das 30 coisas)


A poeta baiana Tânia Contreiras lançou-me o desafio para que entrasse em uma espécia de corrente inicada nas redes sociais e enumerasse 30 coisas a meu respeito.
Eu jamais diria não a ela, que é uma pessoa muito presente em minha vida, amiga ímpar, a quem eu não diria não mesmo se estivesse me pedindo um rim.
Portanto, aí vão as 30 coisas das quais às vezes eu mesmo me esqueço:

1) Tenho que beber pelo menos três uísques antes de entrar em um avião.
2) Quando menino fui atropelado por um jipe e salvo de um afogamento por um ladrão. Que eu me lembre, em três outras oportunidades a morte passou de raspão.
3) Adoro pão com linguiça e arroz com rapa.
4) Gosto de cozinhar. Muitas vezes, cozinho para não pirar.
5) Adoro futebol. Cruzeirense de ir ao estádio. De "ver" o jogo pelo rádio.
6) Fui "vencedor" de um único concurso literário em minha vida.
    Foi uma 'tarefa' no grupo Escolar Maria Ortiz, em Barra do Cuieté-MG; a redação "Meu Brinquedo favorito" venceu "o ponto" para a equipe Azul, do terceiro ano primário.
7) Quando cheguei aos Estados Unidos trabalhei de pasteleiro (fazia pastéis de Belém em uma padaria portuguesa).
   Fui também lava-pratos, ajudante de cozinheiro, garçom, funcionário de empresa-de transportes e servente de pedreiro. Aliás, o pior servente de pedreiro que a construção civil de New Jersey já conheceu.
08) Comecei a escrever coisas visitando um pistoleiro de aluguel condenado a 380 anos de prisão, em um presidio de Juiz de Fora. Eu tinha 18 anos.
09) Meu pai não queria que eu vivesse de escrevinhações. Fez de tudo para que eu fosse militar, como ele. Na contra-mão mão de sua vontade, minha mãe presenteou-me com uma Olivetti portátil, que ela pagou em 12 “suadas” prestações na falecida Mesbla.
10) Sofro quando tenho que usar terno e gravata.
11) Não gostaria de ficar careca.
12) Fui pai pela primeira vez aos 16 anos de idade.
13) Tenho três filhas.
14) Casei-me com uma moça bonita.
    Casei ao meio dia, em Curitiba, o sol estava a pino e tive cãimbras durante o sermão do padre.
15) Toda vez que alguém me chama de “jovem”, acho que esta pessoa está tentando me vender um par de quixutes.
16) Adoro Portugal. Pudesse, iria várias vezes por ano a Portugal.
     Tenho vários ossos lusitanos em meu corpo.
17) Eu me sinto mais mineiro do que qualquer outra coisa.
     Muito mais do que brasileiro ou americano, eu sou mi-nei-ro. De Minas Gerais.
18) Se tivesse que fazer uma tatuagem, tatuaria o triangulinho vermelho da bandeira de Minas Gerais no bíceps.
19) Cheguei aos Estados Unidos aos 21. Tenho 51. Vivi toda a vida adulta no estado de Nova Jersey.
20) Quando comecei a escrever queria ser uma espécie de Augusto dos Anjos menos pessimista. Depois queria ser Drummond e depois, Roberto Drummond.
21) O livro Hilda Furacão, de Roberto Drummond, é dedicado a mim. Também a mim, que fique claro. O que me honra da cabeça aos pés.
22) Tive uma produtora de shows de MPB com dois grandes amigos nos EUA. Fizemos coisas que julgo importantes por aqui.
23) Sofro quando entro em um lugar e está tocando axé, breganejo, pagode ou "fanque". Este é um dos motivos porque vou pouco aos restaurantes brasileiros de Newark.
24) Parei de fumar no dia 1º de dezembro de 2011, após escalar - de carro - um poste da South Street. Carro e cara se arrebentaram.
   Parei como forma de agradecimento pela oportunidade de continuar entre os vivos. Eu era fumante desde 1980.
25) Eu não gosto de ir a festas de crianças, nem de ir à Disney com minhas filhas.
   Não fui. Não vou. Não irei.
   É por estas e outras que ainda morarei no inferno.
26) Não gosto de praia. Nem de carnaval.
27) Acho as obras de Niemeyer uma bobagem. A forma não segue a função.
28) Tenho preguiça mental de falar inglês. Minha tecla SAP está quase sempre desligada.
29) Entre 2011 e 2013 tive muita vontade de voltar pra Minas Gerais e ir morar numa casa de montanha e ser feliz para sempre.
    Esta vontade está passando. Já passou.
30) Tenho os melhores amigos que o afeto pode comprar.


15 comments:

Tânia regina Contreiras said...


Ah, ficou maravilhosa a crônica, Beto! Linda demais. Curiosidades de sua vida são pérolas, diamantes, tudo sempre lírico e lindo!

Beijos,

MA FERREIRA said...

Bacana mesmo!
Te li sorrindo!!
( amei a parte sobre Drummond )

Assis Freitas said...

eu juraria que ouvi o médico dizer: repita 33, 33

mas são trinta: três vezes trinta

foi na trica broda, é bom des/vê-lo


abração

Dois Rios said...

São 30 fatias do teu ser que fazem o nosso bem querer ficar inteiro, menino Roberto!

Que bom que o matador de aluguel deu vida às tuas primeiras palavras. Isso é a prova de que eles não vivem, somente, de subtraí-las, rs.

Adorei saber um pouco do muito que tu és!

Beijos,

giselda said...

Querido Roberto. Vim aqui ler suas "escrivinhações" impregnadas de um talento ímpar. Admiro sua genialidade e autenticidade que transcedem o tempo e o espaço. Sou grata a sua mãe por ter lhe dado uma Olivetti portátil. Sábia ela. Sou sua fã de carteirinha e como você mesmo diz com todo carinho e respeito. Adoro-te! Abração

Bell R said...

Interessante, vejo você exatamente assim ,claro como a água do seu rio na infância!

dade amorim said...

Muito interessante, PP!

Abração

Rossana Masiero said...

Que exercício legal!
Não sei se sei 30 coisas sobre mim, mas gostei das suas, minerim...

Bjs
Rossana

Suzana Guimarães said...


Na realidade, não sei quem começou essa brincadeira, fui convidada.

Trinta curiosidades que rendem um ou dois livros bem interessantes...

Adoro o que é escrito na primeira pessoa do singular.

Simplesmente ótimo! Agradável de se ler e dá sentimento de vazio quando acaba.

Um abraço,

Suzana Guimarães, Lily.

Lázara papandrea said...

muito legal isso de ir dizendo sobre si... lembrei-me que aqui na UFJF uma professora trabalha com as escritas de si, com os diários, com as coisas registradas assim, sem maiores pretensões, mas que causam um agrado de leitura interessante...abraços meus e prazer em conhecê-lo melhor.

Magnolia said...

31) Gosto de poesia

Sônia Brandão said...

Bom te conhecer um pouco mais.

bj

Wilson Torres Nanini said...

Roberto, é impossível não te chamar de irmão.

Humano autêntico!

Quanto à lista, a característica número 17 ("Eu me sinto mais mineiro do que qualquer outra coisa.Muito mais do que brasileiro ou americano, eu sou mi-nei-ro. De Minas Gerais.") é algo que pousa em meu coração.

Forte abraço!

Joelma B. said...

Esta experiência de escrever sobre trinta curiosidades já é por si curiosa, não acha?
O que nos leva a falar determinada coisa e deixar de lado outras tantas torna-se uma curiosidade sobre nós.
E também é um tanto perigosa. Ficamos a mercê de suposições, conclusões que escapam do nosso conhecimento. Mas ninguém se preocupa com suposições por muito tempo, então, que se dane o que concluírem!
Sua introdução chamou minha atenção. Escrever as curiosidades por consideração a Tania. Que lindo isso!

Beijo!

Tania regina Contreiras said...


Relendo. Gosto de chegar aos blogues inteira. Às vezes chego corrida. E aí volto. E também volto porque gente, alma me interessam.

Beijos,