Monday, July 9, 2012

reza











Meu pai nasceu

e viveu

ateu.


no que envelheceu,

deu de cochichar

todas as noites

no ouvido

de Deus.



.

23 comments:

Janice Adja said...

Algo ele teria para dizer para Deus.
Segredos de uma vida inteira.
Beijos!

Adriana Aleixo said...

Bom saber-te poeta...

Lindo demais!!!

Saudações atleticanas! Caixa!!!
Beijo, beijo.

Tania regina Contreiras said...

Acho o poema o máximo! Fala tanto das transformações que a gente vai sofrendo ao longo da vida e, sobretudo, da entrega!

Beijo, Beto

Verso Aberto said...

é a canção da vida Beto
ela não tem refrão

abração mano

Bípede Falante said...

falar no ouvido é um dom para quem tem na voz carinho.

beijoss, Roberto.

Luiza Maciel Nogueira said...

bárbaro! e que bom que nasceu

beijos

Gabriel Revlon said...

Belíssimo!

Adriana Aleixo said...

Ei, Beto.

Têm uns versim pra você no meu blog.

Bjo!

Luciana Marinho said...

roberto,

que lindo...
distrair-se é um estado de descobertas (como lembrei-me de clarice lispector!). se eu envelhecer cochilando assim me darei por feliz.

beijos, querido!

Tati said...

muito bom! Não há melhor reza do que o papo direto no ouvido..

Primeira Pessoa said...

tati,
fiquei me perguntando: terá Deus arrepiado ao toque involuntários dos lábios, do timbre com sotaque roceiro, do hálito de meu pai?

abração do

roberto.

Primeira Pessoa said...

Luciana,
meu pai levou 79 anos para ter essa "intimidade" com Ele...
ainda temos muito tempo.

beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

adriana,
passei por lá, e curti muitíssimo o presente.



você é querida e generosa.
como diria speed gonzalez, muchas gracias.

beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

muito grato, gabriel.
sinta-se em casa, aqui.

Primeira Pessoa said...
This comment has been removed by the author.
Primeira Pessoa said...

adriana,
não sei se o poeta se aplica a mim.
poesia é pra gente mais gabaritada no ofício do sentir a vida.

beijào do
roberto.

Primeira Pessoa said...

sim, janice, segredos...
e pedidos de perdão ao pé do ouvido, quero crer.

beijão do roberto.

Primeira Pessoa said...

marquim,
ando com muita saudade da gente.
em outubro cê vai ao valadão pro lançamento do livro, num vai?

beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

taninha,
acho também que é uma tentativa de se redimir, a entrega após o confrontamento, uam vida inteira, até que, finalmente, ele se deu conta de sua condição.
deve ser isto, acho.

beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

bípede,
falar no ouvido de Deus é uma intimidade que eu gostaria de ter.
às vezes gritamos, e Ele parece não nos escutar.
beijão do
roberto.

Kellen Bittencourt said...

Olá amigo, obrigado pela visita e por seguir o blog, legal encontrar um Mineiro escritor por aki, moro em Sp mas sou de Minas tbém Uberlândia, vc está bem longe agora, li a apresentação sobre a sua pessoa, gostei muito das palavras poéticas! Estarei aki com vc! abraços

ricardo alves / são paulo,brasil said...

fantástica criação!

luna luna said...

o tempo muda as pessoas
bjs