Thursday, December 15, 2011

Dentro dos olhos de Marina Jardim

















Nos olhos de Marina existe um jardim.
E uma lua feita de argila e uma folia de rei.
Tem um céu feito de estrelas camponesas e um chão rabiscado de giz.
Tem uma frase de congado, o canto de uma rezadeira e um trancelim.
Tem, ainda, um pasto, um chapéu de couro, um gibão, um aboio e um entardecer.
Tem um boi de janeiro.
E boiadas o ano inteiro.
Tem mulheres feitas de barro, homens calejados nas lavouras e crianças esculpidas em nuvens.
Tem o trote de um cavalo, o berro de um carneiro e um cobertor de lã.
Nas veias desta mulher corre um rio cheio de peixes de escama e prata, e meninos brincando nas águas e fazendo ti-bum.
E, nos remansos deste rio abundam jequis, canoeiros, canoas, bancos de areia e um mar, abraçando tudo, onde certamente existirá uma foz...
Nas retinas de Marina vive uma fada, que com o seu condão toca o solo e o transforma em carrossel.
Transmuta carência em cirandas, tristezas em pombas, desesperança em porvir.
Nas pupilas de Marina mora um jeito de olhar que é só dela.
Mora uma delicadeza, uma alegria e um bem-querer.
Moram pés que ganham o mundo e mãos que moldam a vida.
Nas suas telas florescem gerânios, açucenas, semanas-santas e pequis.
E existe uma feira, onde se acha panelas e potes de barro, colher de pau, peneira, cestos, farinha, goma, hortaliças, verduras, frutas e um jeito de existir.
Tem também um arco-íris de mil cores e matizes, que não existem noutro lugar, que não lá.
E é lá que ela garimpa suas cores e inventa seus vermelhos, seus amarelos, seus azuis...
É nesse tear que ela tece retalhos feitos de asas de borboletas, e dá vida aos forrozeiros e cantadores de seu lugar.
É neste cenário que seu pincel coloca os tambores na rua e decreta um estado de euforia e felicidade.
Porque ela é vida. É celebração.
Na sua paleta habitam violas de braços coloridos com laços de fita, bandeirolas e bordados, um papagaio de papel e um pião.
Ela lapida cascalhos de Diamantina, fertiliza palmeiras comunistas em Itaobim, abençoa pecados inocentes em Padre Paraíso e afaga crianças que cantam pelas ruas de Araçuaí.
Marina Jardim tem no peito um coral de lavadeiras.
Tem uma cantiga-de-roda. E uma bandeira do divino.
Tem pincéis que falam a língua do seu povo e cores emprestadas pela pele de sua gente.
Tudo o que ela pinta é lindo e cheio de vida.
Quanto Marina Jardim pinta, ela pinta com os olhos de Deus.


A Música Que Toca Sem Parar:
de Lery Farias e Paulinho Assumpção, na voz de Paulinho Pedra Azul, Jequitinhonha.

Jequitinhonha
Braço do mar
Leva esse canto prá navegar

Traz do garimpo
Pedra que brilha
Mais que a luz do luar

Jequitinhonha
Jequitibarro
Mete essa unha, tira da terra
Vida talhada com as mãos

Já te quis, já te quis, já te quis tanto
Já te fiz, já te fiz, já te fiz sonho
Te cantei, te cantei, te cantei pranto
Como a água da chuva que inunda esse chão...

26 comments:

Paulinho Pedra Azul said...

Nosso Jequi precisa ser mais cantado!PPAzul.

Tania regina Contreiras said...

Já li lá no Tertúlia. Uma lindeza... Um coral de lavadeiras no peito, eu amei isso e comentei lá. Mas uma fada na retina é outra coisa linda e tudo é tão poeticamente lindo nessa tua crônica. Emoção brota sempre que te leio. Já o disse tantas vezes.
Beijos,

Daniela Delias said...

Belíssimo...é bem assim: uns pintam com os olhos de Deus, outros escrevem com esses mesmos olhos, como tu.

Bjos

Índigo said...

¿Y tú dices que no eres poeta, sino cronista? Eres un espléndido cronista poeta, un poeta cronista que tiene magia en los dedos. Y tus palabras, al posarse en el teclado, destilan vida y emoción y emocionan... siempre, sí. Y con este homenaje a Marina Jardim, vuelves una vez más a demostrar tu atinada sutileza y tu gusto por la vida y la belleza. Yo también vengo aquí y me voy contenta. Un abrazo bien grande y bien, bien azul para ti, Roberto.

Andrea de Godoy Neto said...

tanta coisa linda nos olhos e na paleta de Marina Jardim...tanta cor, tanta vida...

tanta coisa linda nesse teu olhar sobre Marina Jardim, no teu olhar sobre o mundo... tanta alma, tanta poesia...

uma lindeza, beto!
beijo

(ô, esse quadro é um dos que mais gosto entre as imagens que eu vi, esse e o do peão :)

Assis Freitas said...

tem gente que enxerga o mundo com a paleta de um arco-íris, Marina deve ter parentesco com os duendes do jardim, faz florescer encantamentos



abraço

Bípede Falante said...

Os olhos que vêem coisas invisíveis, pintam todas as cores e palavras também :)
Beijos
BF

Primeira Pessoa said...

bípede,
algumas coisas saem melhores que as outras, quando são feitas apara pessoas inspiradoras.
este é o caso desta cronica.

abração so

roberto.

Primeira Pessoa said...

assis,
você precisa conhecer marina jardim. grande pintora, grande pessoa.

e vivena minha mesma prateleira onde está você.


abraço grande do seu amigo

roberto.

Primeira Pessoa said...

andrea,
roubei este quadro da sala da casa de tadeu martins, em bh. aliás, estou sempre roubando alguma coisa da casa deste meu amigo.

tenho uma meia duzia de quadros dela. eu, se pudesse, comporva toda a produção dela e sairia por aí presenteando os amigos.

amigos como você.

beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

Indigo,
tento escrever com poesia. queria eu que até as bulas de remédio fossem escritas com poesia.
mas isto é mais uma quimera minha.

sempre bopm te ver por aqui.

abraço largo do

roberto.

Primeira Pessoa said...

dani,
voce teve a oportunidade de conhecer marina jardim, durante a tertulia.
um doce de pessoa. e uma artista talentosa demais.
marina merece tudo.
marina merece mais. muito mais.

beijo grande do

r.

Primeira Pessoa said...

taninha,
existe até um coral de lavadeiras lá no vale do jequitinhonha. elas tem cd gravado e tudo.
c6e precisa escutar.

beijão do

roberto.

Primeira Pessoa said...

sim, paulinho. precisa.
e você é uma das vozes que melhor canta este lugar.

sou parceiro.

beijão do

roberto.

Luciana Marinho said...

marina é um jardim
roberto é um passarim!

Luciana Marinho said...

lindo encontro,
lindos sentimentos a mover palavras e a nossa emoção.

parabéns!

beijos!!

Primeira Pessoa said...

e ocê, luciana, é um jardim cheím de passarim...rs

doce e querida, sempre.

beijão do

r.

Evanir said...

Sem imaginar que já era sua seguidora entrei em um blog e vi vc fazendo um comentário.
E antes havia convidado para ser meu amigo.
Foi muita emoção ler seu texto percebi que seu perfil é mais que real .
Quero ter a alegria de ter você como meu amigo esse é um convite já feito.
Gostaria muito de fazer um link para colocar você entre meus amigos no meu blog basta aceitar farei em breve.
Te desejo de coração uma feliz semana.
Um Santo Natal a você familia e amigos.
Um abraço carinhoso .
Evanir

Primeira Pessoa said...

seja mais que benvinda, evanisr.
faça uso e gáudi deste espaço.


grande abraço do


roberto.

Fatima said...

Desejo que você tenha um ótimo Natal, cheio de alegrias, harmonia e tudo que a nossa Caixinha de sonhos nos faz acreditar. Que esse Novo Ano que se aproxima seja uma porta aberta para novos sonhos, renovações de fé e muita Paz para o nosso mundo. Feliz ano 2012!!!

Bjs.

JouElam said...

Olá, amigo poeta! Tem um presente de Natal para você no Távola de Estrelas!Desejamos a você votos dum
Natal muito Feliz e de um Ano Novo Maravilhoso!

abraços,

JouElam & Dani

Távola de Estrelas: http://jorgemanueledanieledallavecchia.blogspot.com/2011/12/um-selinho-pra-voce.html

Primeira Pessoa said...

JouElam & Dani,
retribuo o afeto do jeito que posso, do jeito que consigo... pudesse eu (e não posso),
retribuiria com tudo o que a filatelia (e os correios) tivesse pra oferecer... tenho andado aquele avião sobrevoando a cidade numa turbina só...

mas deixo abraços e afeto sem fim.

r.

Primeira Pessoa said...

fatima, amiga querida,

eu tava com saudades de te ver por aqui.

beijo grande do

r.

Cores da Vida... said...

Que texto lindo...!! Pitoresco e deliciosamente suave... Adorei.
Você fez uma bonita interpretação da música. Parabéns!

Desejo-lhe BOAS FESTAS...!

FELIZ NATAL E ANO NOVO...!
Saúde, Paz, Sucesso e Amor...!

Beijos,
Ana Lúcia.

Primeira Pessoa said...

ana lucia,
não é minha a interpretação da canção, e sim de Paulinho Pedra Azul.
A crônica, sim, é de minha autoria.

Grande abraço do

Roberto.

Zilani Célia said...

OI AMIGO!
FUI LENDO E ME ENVOLVENDO, QUERIA SABER QUEM ERA MARINA JARDIM,PINTORA, QUE PINTA COM OS OLHOS DE DEUS,DEVE SER MUITO ESPECIAL MESMO.
LINDA HOMENAGEM, RETRATANDO TAMBÉM,JUNTO A MARINA, A REALIDADE DE UMA REGIÃO DESTE NOSSO BRASIL, MARAVILHOSO E RICO NAS DIFERENÇAS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com/