Sunday, May 22, 2011

3 Poemas de Mia Couto

.













Fui Sabendo de Mim

Fui sabendo de mim
por aquilo que perdia

pedaços que saíram de mim
com o mistério de serem poucos
e valerem só quando os perdia

fui ficando
por umbrais
aquém do passo
que nunca ousei

eu vi
a árvore morta
e soube que mentia


in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas



Destino

à ternura pouca
me vou acostumando
enquanto me adio
servente de danos e enganos

vou perdendo morada
na súbita lentidão
de um destino
que me vai sendo escasso

conheço a minha morte
seu lugar esquivo
seu acontecer disperso

agora
que mais
me poderei vencer?


in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas




Para Ti

Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre

Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida


in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas


A Música Que Toca Sem Parar:
da terra de Mia Couto, Moçambique, fomos buscar a belíssima Nwahulwana (tocando aqui pela terceira vez), de Humberto Carlos Benfica e sua Orchestra Marrabenta Star.

26 comments:

Jorge Pimenta said...

robertílimo,
que excelente nova, esta. passo por aqui [ao que vejo com alguns dias de atraso] e percebo como andei a perder tanta coisa boa :). congratulo-me com a restauração do primeira pessoa, que a fila da frente dos amigos dos blogues e dos escritores do mundo tem [re]clamado por ti.
o próprio mia, seguramente.
um abraço, felicíssimo [eu e o abraço] com o teu regresso!

OutrosEncantos said...

oh Roberto, esse Homem diz tudo por nós, tudo quanto queremos dizer e não sabemos, ou sabemos mas não somos suficientemente humildes para o gritar...!
Adoro Mia Couto!
Beijo, Amigo.

Zélia Guardiano said...

Ah, Mia Couto, meu querido Roberto... Mia Couto!
Um mago das palavras, sempre em trabalho de alquimia...
Lindo demais!
Grande abraço da
Zélia

Vais said...

Ei, Roberto,
bonito, bonito, de olhos e ouvidos África tão da gente

em Mia Couto Fui Sabendo de Mim Destino Para Ti

"vivendo de um só
amando de uma só vida"

abração de bom dia

Primeira Pessoa said...

vais,
mia coutaéntrou tardiamente em minha vida. gosto muito das coisas que ele escreve. não sei se voce viu "afrika", textos dele com fotos de sebastião salgado.

é de tirar o fôlego.

beijao,

r.

Primeira Pessoa said...

zélia, querida,
saudemos os alquimistas do bem, né?

que seu domingo seja lindo.
de saúde e paz.

beijao do

roberto.

Primeira Pessoa said...

moça do outrosencantos,
o bom escritor é aquele que "fala por nós".

sim, mia couto é um desses.

ave rara!

beijão,

r.

Primeira Pessoa said...

jorgíssimo,
retomei o blog já faz umas duas semanas e, sim, senti muitíssimo a sua falta.

retomemos nossa prosa e não a nossa amizade, posto que esta jamais foi interrompida, né?

carinho desse seu amigo, o

r.

Assis Freitas said...

rapaz, sobrevivemos a hecatombe e ainda deu para fumar unzinho como desculpa, esse negócio de previsão só funciona aquelas leis fundamentais de Murphy: não existe nada tão ruim que não possa piorar. Ou a do filósofo meu amigo Papa-capim: tudo a volta do buraco é beira. Aqui estamos, como diria Elomar, numa invernia da gota. Não sei se vc percebeu mas seu post abaixo Uma voz soprando ao meu ouvido, me inspirou "uma voz soprano habita os meus ouvidos", gracias


abraço de um sertanejo na labuta

Ana F. said...

Como não se render a uma poesia como essa?

belo presente de domingo...

bj

Primeira Pessoa said...

é verdade, ana: como não se render?

eu me rendi. me rendo.
eu me renderei, sempre.

se a causa for boa.
se o poema parar minha respiração por um segundo, sim, eu me renderei.

abração do

r.

Primeira Pessoa said...

assis,
o kledir costuma dizer que, tirando o que tá ruim, o resto tá tudo bão.
vi o poema. comentei. tem suas impressões digitais.

onte, enquanto o mundo não acabava, eu tomei um porrete de cerveja, enquanto cuidava do quintal.
putz, e foi um luto do cacete, minhas meninas chorando a perda do passarinho (clarice pisou nele, sem querer... o bichinho vivia solto pela casa).

para lucky, o mundo acabou ontem.

de alma passarinha, voou.

beijao,
r.

Luiza Maciel Nogueira said...

Belíssima música Roberto e ótimas escolhas poéticas. Está lindo.

Um beijo!

Paulo Jorge Dumaresq said...

Esse Mia Couto é um danado, Bob.
Seja no romance, no conto, na dramaturgia ou na poesia,
o homem arrebenta.
Resta-nos admirar sua obra singularíssima que nos oferece versos como estes:

"simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida"

Domingo poético procê, amigo.

Primeira Pessoa said...

pj,
mia couto ja nasceu com 15 anos.
o cara joga nas 11 e ainda xinga a mãe do juiz. sou fã demais.
eu, que to acabando de ler mais um livrote dele e, cada vez mais, admirador do cara.
ele esteve em natal no ano passado, ne?
ele, e o josé eduardo agualusa, de angola...

beijao desse seu amigo das geraes, o

R.

Primeira Pessoa said...

luiza,
se cê gosta, eu sinto utilidade e serventia nesse blog.

obrigado pelo carinho.

r.

Paulo Jorge Dumaresq said...

Estiveram, sim, Bob.
O Agualusa em Natal e o Mia Couto na praia da Pipa.
Pense numa dupla de área arretada.
Valeu, meu cronista.

Primeira Pessoa said...

rapaz,
estamos querendo fazer um evento com os dois aqui nos eua, talvez o ano que vem.
se der certo, vai ser supimpa.

abraço, desde new jersey,

r.

Tania regina Contreiras said...

Não li nada completo co cara, sempre coisas espararsas...sempre me arrepia, preciso ler, ter na cabeceira... Para Ti...lindo, arrebatador.

E a música? Vc sabe fazer o casamento perfeito entre texto e música, quase ficam uma coisa só, como pode????

Beijo, Roberto.

Primeira Pessoa said...

li dois livros dele nos ultimos meses, taninha. e to com alguns mais aqui, na fila de espera, pra ler assim que folgar.

essa música é da trilha do filme The Pledge, dirigido por Sean Penn. não sei o nome do filme aí no brasil. caso queira, posso te enviar a canção por email.

beijo grande do

r.

Controvento-desinventora said...

Mia Cout é esse Universo cheio de vozes, que falam a nós de nós mesmos. Adorei a escolha do autor e dos poemas.

Primeira Pessoa said...

claudia,
mia couto é a áfrica no mundo todo.
e é o mundo todo e é todos nós.
literatura universal, seja na prosa, seja na poesia.

abração do

roberto.

Emoções said...

O POETA
Sabemos que os poetas é um ressuscitador
Ressuscita a saudade, ressuscita o amor.
Ressuscita a paixão, ressuscita ate a dor.

É no silêncio da calma no conflito da razão
Escreve versos e trovas falando de grandes paixões
Corre nas veias o sangue da saudade e do amor.
O poeta sim senhor! É um grande sonhador

Qual poeta não fala! De amor nos seus versados
Os poemas sem amor ficam sem significado
Desprovido de ternura sem sentimento igual
Falta de imaginação falta amor no coração

Eterno são os poetas criadores e criativos
Criam amor criam ilusão mantém a paixão acesa
Nos seus versos ele mostra do amor toda a beleza

Primeira Pessoa said...

luna,
você disse muito bem: o poeta é um ressuscitador.

evoé!

abração do

roberto.

Juliana Vinagre said...

Era tudo que eu precisava nessa noite fria de sexta-feira, Érre... passar por aqui pra matar um tiquim das saudades e ainda tomar uma boa dose de Mia Couto pra me aquecer.
Esse outro guru da minha vida, maestro das palavras...

Saudades de você, panguá, não me canso de dizer.

Beijo grande
Diubs

PS: Vou ali, mergulhar um pouco mais nas palavras desse encantador.

Primeira Pessoa said...

manucha, mia couto é bom de prosa e poesia.

embebde-se dele.
voce merece.

beijao e saudades, tambem do lado de cá,

r.