Monday, December 10, 2012

Corremos Dentro dos Corpos



Como o sangue, corremos dentro dos corpos no momento em que abismos os puxam e devoram.
Atravessamos cada ramo das árvores interiores que crescem do peito e se estendem pelos braços, pelas pernas, pelos olhares.
As raízes agarram-se ao coração e nós cobrimos cada dedo fino dessas raízes que se fecham e apertam e esmagam essa pedra de fogo.
Como sangue, somos lágrimas.
Como sangue, existimos dentro dos gestos.
As palavras são, tantas vezes, feitas daquilo que significamos.
E somos o vento, os caminhos do vento sobre os rostos.
O vento dentro da escuridão como o único objecto que pode ser tocado.
Debaixo da pele, envolvemos as memórias, as ideias, a esperança e o desencanto.

José Luís Peixoto,
in 'Antídoto'


.

28 comments:

Índigo said...

Bellísimo nuevo descubrimiento para mí. Me lo "llevo" puesto. Abrazo enorme, Roberto.

Tania regina Contreiras said...

Nossa, esse José é um José encantado! Não conhecia e adorei.

Beijos, Beto

Assis Freitas said...

rapaz, esses caras escrevem pra caráleo, dá uma inveja da gota sô,

abração broda

Clarice-Bela said...

Olá roberto...
Seus textos me comoveram de uma forma tão profunda que desatei a chorar...
Quanta sensibilidade ao escrever fatos tão cotidianos! O caso do goleiro Bruno, por exemplo...Todos nós, Já o tínhamos crucificado em praça pública, mas vc conseguiu nos fazer enxergar o outro lado de Bruno.
Sabe que até me deu pena? Amei seu blog.(sem bajulação)rsrsr e ele me comoveu demais...Um abraço.

Luciana Marinho said...

que coisa linda! vai nos levando no fluxo dessa água-sangue-choro nessa obra aberta que é o corpo-mundo-palavra...

beijão, roberto!

(que bom que você voltou! ou fui eu quem sumiu?! hahaha)

Kellen Bittencourt said...

Parabéns amigo, belo texto! Abraçoss

Primeira Pessoa said...

não que tenha perdido muita coisa, lu.
mas foi você que sumiu...rs

já faz um tempinho bom que eu voltei.

beijão do
r.

Primeira Pessoa said...

clarice,seja bem vinda.
saiba que minha filha do meio - tenho três moças - tem o seu nome.

pois bem, se o motivo do choro for um motivo que se leva peito, é um motivo sempre bom.

fico muito feliz com a sua presença neste minifúndio.

grande abraço do

r.

Primeira Pessoa said...

zé de assis,
nem acho que seja inveja, a palavra.
eu fico mesmo com cara de bobo, o olhar de contemplação.
e, pior, nem aprendo com os caras...rs

abração do sue broda,
r.

Primeira Pessoa said...

taninha,
bora fazer uma lista dos nossos josés?

eu começo com josé lins do rego!

agora, é com você.

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

indigo,
pode levar que é seu.
beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

obrigado, kellen.
que fique claro que o mérito é do josé luis peixoto, autor do texto e um dos grandes nomes da nova literatura portuguesa.

grande abraço do
roberto.

Bandys said...

Intenso, forte e profundo.
Uma excelente escolha. Muito bom, adorei.

Abraços

Permita-me só corrigi-lo que, com 5.0 não se entra na terceira idade, talvez na Feliz idade. Dizem que a vida começa aos 40, vc é um garoto.Cheio de surpresas pela Frente.

mary.yamin said...

Belezura... Beto..
Mil
Beijo..

Primeira Pessoa said...

esses portugas são campeões desta palavra que eles inventaram, mary.

beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

bandys,
se a vida começa aos 40, ainda não fui comunicado...rs
minha peleja, agora, é recuperar o fôlego.

abração do

r.

Iara Maria Carvalho said...

belíssimo, como tudo o é vindo de José.

beijo meu.


Iara Maria

www.seridolendas.blogspot.com
www.violoncela.blogspot.com

Índigo said...

Gracias, Roberto. En París, lo traduciré y, desde allí, te lo mandaré.

¡Así que tres hijas! El tres es tan hermoso. Tres los míos pero no tres hijas: dos niños y una niña, la pequeñina. Besos, Roberto.

Primeira Pessoa said...

de paris, vem com cheiro diferente?
ah, indigo, manda sim.
minhas miúdas se chamam emilia, isabella e clarice e são meus amores.
e os seus três niños (sim, a pequenita é uma niña)?

beijo procê.

r.

Primeira Pessoa said...

cê é fã desse zé, Iara?
aliás, esses zés não são um zé qualquer.

eu to ligado neles.

beijão,
r.

Rafaela Figueiredo said...

Muito grata pela visita ao meu espaço.
Vim tb e voltarei, sempre que possível, ao seu. Bonita ideia: somos todos cheios de re-coberturas e complexos sentidos...

Um abraço

eurico portugal said...

pois,
foi justamente um dos momentos altos lá na escola de viatodos; conseguimos levar o j. l. peixoto lá, para uma conversa com alunos. duas horas de puro deleite, no centro de todas as distâncias. uma pessoa notável, alentejano de gema, um homem simples e acessível [como os maiores] e um enorme benfiquista :)

a propósito, acaba de lançar um último livro que promete ser outra peça rara: dentro do segredo. surge na sequência de uma viagem de duas semanas à coreia do norte.
última nota: em "cal" respira um dos mais belos contos que alguma vez li - "o grande amor do mudo".

abraço!

p.s. por falar em glorioso, lá estamos no lugar mais invejado da tabela classificativa e, mesmo sabendo que no natal nada se ganha, já ninguém vira o ano em melhor posição do que nós :)

Graça Pereira said...

Hoje passo para te desejar um Feliz Natal e um 2013 em GRANDE!
Beijo
Graça

Primeira Pessoa said...

chegou cedo, graça...
é meu primieiro voto de um feliz natal;.

e é a minha primeira retribuição.

e que todos os sonhos se realizem em 2013.

abração do

r.

Primeira Pessoa said...

euriquissimo,
eu vi que o glorioso está no lugar mais alto da tabela.
agora, temos que nos manter lá.
li, esta semana, que luizão poderá voltar ao cruzeiro, para encerrar a carreira onde começou. obviamente, pensei logo em você: não se despe um santo para vestir um outro.

a propósito de jl peixoto, acho-o muito bom. vive um momento excelente e sabe, como poucos, trabalhar a mídia.

saudades, jorgíssimo.
saudades.

abração do

r.

Primeira Pessoa said...

rafaela,
so assim engrossaremos a corrente.
sempre que der vontade, saiba que esta casa é sua.

abração do

r.

Índigo said...

Bellos los nombres de tus tres amores. Los míos, Álvaro, Arturo y Paloma. Y París que no es mío pero me lo apropio... después de vivir tres años allí. Abrazo enorme y añil.

Primeira Pessoa said...

paloma, como a de pablo.
álvaro e arturo... a letra A é a primeira.

paris é uma daquelas cidades do mundo em que chegamos pela primeira vez e temos a impressão de que já estivemos ali.

grande abraço do

r.