Monday, December 3, 2012

Porque hoje eu estaria em Cuba

 
... e não estou.
ao invés disto, eu me vejo atracado a um texto que era para ser uma crônica e virou um conto.
Depois de ter virado conto, o bendito cismou que não cabia ali, e que queria ser outra coisa.
"Os dez segredos de Ernesto Lynch" está se transformando em uma outra criatura que ainda não sei o que é, e isto está me consumindo lentamente, pelas beiradas, como haveria de ser.
Sei que ele pode ser o meu presente de aniversário de cinquenta anos.
Mas pode ser também o meu fim, pequeno tormento que já é.
 
Enquanto isto, um pedaço da minha alma bebe mojitos na Bodeguita del Medio, sonha com os letreiros luminosos de Miami, passeia de mãos dados com uma mulher-fantasma no Malecón e molha os pés turistas nas águas mornas de Varadero.
É muito estranha esta sensação que me consome, porque o título nasceu antes do resto e, antes de ir adiante, preciso descobrir, primeiro, os "dez segredos" de Ernesto.
Em suma: tô fodido.

Não paro de escutar o Buena vista Social Club, e a voz de Compay Segundo fica zanzando dentro de meus tímpanos, soprando as brasas de um caos de bolso.

Chan Chan

De Alto Cedro voy para Macané
Luego a Cueto voy para Mayarí

El cariño que te tengo
Yo no lo puedo negar
Se me sale la babita
Yo no lo puedo evitar

Cuando Juanica y Chan Chan
En el mar cernían arena
Como sacudía el \'jibe\'
A Chan Chan le daba pena

Limpia el camino de pajas
Que yo me quiero sentar
En aquel tronco que veo
Y así no puedo llegar

De Alto Cedro voy para Macané
Luego a Cueto voy para Mayar


.

15 comments:

Tania regina Contreiras said...

Sentimento de quem maneja tão bem a pena pode ser crônica, conto, poesia...enfim, a gente sonha e o sonho viram letras que fazem outros sonhar e sentir. Ó, vou mentir não, não sei o dia exato do seu aniversário, se já é, se já passou, mas quero dizer que, como cê falou lá no meu Roxo, irmãos que saem de ventre diferentes não são menos irmãos por isso. E desejo tudo de bom pra meu maninho todos os dias. Porque merece, porque tem um coração enorme, porque escreve tão bem e me encanta, porque não desiste de sonhar com o melhor e é desses raros que quer mais que sonhos, quer realizar. E eu decreto que os 50 marcarão momentos muito felizes em tua vida.
beijão
t.

Assis Freitas said...

broda se tens o título (lembra a história do Antonio Torres: ele achou o título Um cão uivando pra lua, depois saiu o livro) é só se debruçar na escrita,

abraçã

p.s. e o título é de torar

Mariangela Alvarez said...

Chan Chan..

Parabéns querido amigo Beto!
Feliz meio século!
A Idade da Razão??!!!
Saúde, Alegrias e Paz!
Beijo saudoso
e VIVA VC!
Guarda um brigadeiro...

Tania regina Contreiras said...


Meu maninho querido, eu te amo, meu amor de irmã vibra sempre pela tua felicidade. Parabéns pelos 50. A vida começa agora. E será de muitos assombros, encantos, realizações. Já sei, claro, que é hoje seu aniversário.

Beijos,

Primeira Pessoa said...

taninha,
não existe, no mundo, sentimento maior e melhor, do que este.
o amor edifica.
é tào bom saber que tenho você entre os meus. queria traduzir em palavras, o tamanho desta reciprocidade.
sei que te tenho. saiba que me tem também e é para a vida inteira.

beijão,
r.

ps: olhei-me no espelho esta manhã e me achei pálido demais. a gente chega aos 50 anos e fica com cara de boneco de cera derretida de vela padre julio maria.

Primeira Pessoa said...

zé de assis,
vou lhe mandar por email os dois primeiros textos do livro, que cresce um cadiquinho - em febre - todos os dias.
era pra ser uma cronica falando de um cara andando em havana e aquele cara não era eu.
acabou virando um cara em havana e o cara é ele mesmo. fiquei assustado porque perdi o controle do teclado.

trem mais medõin.

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

mariângela,
os amigos se lembram e isto é bênção.
e deixam a gente feliz por ter completado mais um ciclo.
isto mesmo: mais um.
cinquenta. meio século.

beijão,
r.

cirandeira said...

Roberto, um forte e carinhoso abraço! "nesta data querida"...!
Que continues com esse teu jeito de ser solto, brincalhão e com esse teu senso de humor fantástico!
Que tuas mãos continuem navegando
pelos teclados da imaginação, da
criatividade. Creio que esse é um dos melhores presentes podes receber e ao mesmo tempo nos oferecer!!!

Um beijo bem grandão!

Primeira Pessoa said...

abraço retribuído, cirandeira. é esta troca de afetos o que nos mantem aqui, enredados neste abraço de tamanho universal.

hoje eu estaria em cuba, acredita?
e eu olho para os lados e meus olhos não conseguem sequer dobrar a esquina.

deve ser o inferno.
astral, que se diga.
deve ser, né?

beijão,
r.



Tatiana said...

Que baita história, Roberto! Em forma e conteúdo. Eu acabei não conseguindo passar na terça pra desejar feliz aniversário, mas aqui estou: feliz aniversário! E um segundo tempo cheio de novas histórias, afetos e emoções.
Abração pra ti

Índigo said...

Crónica, cuento, ¿qué importa? Importas tú. Muchísimas felicidades, Roberto. Una amiga mía cumple 60 en enero y está estupenda... y es mujer y aún es peor cumplir años siendo mujer... ¿Que tú cumples 50 y oyes la voz de Compay cantando "el cariño que te tengo"? Pues, entonces, querido Roberto, piensa en Compay y en los años que tenía cuando aún seguía cantando, fumando y disfrutando del cariño que le tenían. Tú aún estás hecho un jovenzuelo y te tenemos mucho cariño. Abrazo enorme, o como dice Caetano: "abraçaço".

Rejane Martins said...

A cisma: quando li esta postagem, Roberto, eu não entendi [e ainda não entendo] porque tu não vais à cidade garantida, proibida: Havana e toda sua Cuba, pra arear teu pequeno tormento, vivenciar-se por lá e terminar teu grande Conto.
abração

Primeira Pessoa said...

tatiana,
so hoje recebi seus votos de um feliz aniversário.
e teve o mesmíssimo efeito, viu?

beijão do

r.

Primeira Pessoa said...

indigo9
escutei e desescutei o abraçaço de caetano e não senti o que ja senti antes, quando escutava um disco novo dele.

um de nós envelheceu.

beijão

r.

Primeira Pessoa said...

rejane,
um pedaço de mim ja tinha ido na frente...
e por lá ainda deve andar...

eu iria comemorar meus 50 anos em lá havana. e tinha tudo pra ser o melhor aniversário de minha vida.

a felicidade, às vezes, dá um bolo na gente.
fiquei em casa, quietinho.
sem bolo e sem vela.

mas, um dia eu vou.
eu sei que eu vou.

beijão,
r.