Sunday, February 6, 2011

Recebi Por Email...

.























Despedida do Trema

(Lucas Nascimento)



Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o trema.Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, na Anhangüera, nos aqüiféros, nas lingüiças e seus trocadilhos por mais de quatrocentos e cinqüentas anos.
Mas os tempos mudaram. Inventaram uma tal de reforma ortográfica e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do dicionário. Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de lingüistas grandiloqüentes!...
O resto dos pontos e o alfabeto não me deram o menor apoio... A letra U se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. Os dois pontos disseram que sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto eles ficam em pé.
Até o cedilha foi a favor da minha expulsão, aquele C cagão que fica se passando por S e nunca tem coragem de iniciar uma palavra. E também tem aquele obeso do O e o anoréxico do I. Desesperado, tentei chamar o ponto final pra trabalharmos juntos, fazendo um bico de reticências, mas ele se negou, sempre encerrando logo todas as discussões. Será que se deixar um topete moicano posso me passar por aspas?... A verdade é que estou fora de moda. Quem está na moda são os estrangeiros, é o K, o W "Kkk" pra cá, "www" pra lá.
Até o jogo da velha, que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que aliás, deveria se chamar TÜITER. Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências! Chega de piadinhas dizendo que estou "tremendo" de medo. Tudo bem, vou-me embora da língua portuguesa. Foi bom enquanto durou. Vou para o alemão, lá eles adoram os tremas. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!...
Nos vemos nos livros antigos. Saio da língua para entrar na história.

Adeus,
Trema.

28 comments:

Tania regina Contreiras said...

Ah, Roberto, nem fale, que eu era (sou) apaixonada pelo trema. Pois te digo, com a reforma ortográfica, nada me fez sofrer mais do que o desapareceimento do trema. Ensaiei perder o sono, prometi que seria a única, mas que continuaria a usá-lo, não me conformo ainda hoje. E, nossa, até arranjei briga quando ouvia de um de outro que o trema nunca foi importante e que não fazia diferença. Ele ainda me escapa e a parece quando me distraio. Anos e anos de convivência com ele. Eu amo o trema! :-)
Beijos,

Luciana Marinho said...

tadinho...

Marcantonio said...

Rs. Texto bem criativo. Realmente, a gente só da valor ao que perde, eu sempre me esquecia de usar o pobre do trema. Kkkk, ôpa, quer dizer, cácácá. Rapaz, eu ponho maiúsculas até em risadas...

Abração, Roberto.

Zélia Guardiano said...

Formidável, Roberto!
Sensibilizou-me, pois sou simplesmente apaixonada pelo trema.
Ainda não me conformei com o que fizeram com ele.
Jamais conseguirei esquecê-lo.
Verdade, mesmo!
E o coitadinho deixou carta -testamento mais pungente do que a de Getúlio Vargas...
Ai!
Abraço, amigo!

Jorge Pimenta said...

é caso para dizer "tschüss", trema :)
estes acordos
são sempre morteiro de pólvora seca, verdade? tanta agitação, ventania e cabelos despenteados para, no momento seguinte, já ninguém se lembrar de como era a ortografia dantes. o que estranho é que se a língua é um organismo vivo que muda sobretudo por via dos usos [sobretudo da oralidade] por que razão têm de ser os gabinetes a determinar o sentido da mudança? muitieramá, diria gil vicente... a política faz-se em todo o lado.
um abraço, robertílimo!

Assis Freitas said...

permita-me o trocadilho infame, mas o assunto me remeteu a uma série televisiva da infancia chamada Perdidos no espaço, que tinha um tal de dr. Smith cujo lema era:

"nada t(r)ema, com smith não há problema"


abração

Analuz said...

Depois de tal desabafo, até me sinto culpada pelo extermínio de tão elevado diacrítico de nossa Língua Portuguesa...

: )

Beijinho de Luz e uma ótima semana!

Primeira Pessoa said...

taninha,
podemos fundar o clube das viúvas do trema. o que você acha?
farei parte da diretoria...rs

abração do

r.

Primeira Pessoa said...

tadinho, nada, luciana...
ele mudou-se pra de mala e cuia pra baviera onde é amado e está na boca do povo...

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

marquinho,
eu adorava usar o trema na palavra lingüiça.
uma delícia!

abração,
r.

Primeira Pessoa said...

zélia,
então você também tem que se vestir de preto.
estamos diante de mais uma viúva do trema.

beijão do

roberto.

Primeira Pessoa said...

assis,
assisti demais, na televisão preto e branca da casa de meu pai, o dr smith, um dos maiores cagões da história e da ficção.

abraço "tremático" do
roberto.

Primeira Pessoa said...

analuz,
a culpa é de todos nós.
todos temos as mãos sujas de sangue (quase escrevi sangüe...rs) quando a prosa é trema.

abração do

roberto.

Primeira Pessoa said...

digamos "tschüss", jorgíssimo... em uníssono.
acho legais as reformas gramaticais. acho necessárias, pois a língua (e a maneira de falar) evolui.

ou não teremos vindo de um prosaico macaco? rs

evolução?
o que sei eu?


abração do

roberto.

Fouad Talal said...

lembrei de um bloco de carnaval, se não me engano da savassi:

"não trema na linguiça"

mas convenhamos, pão com linguiça é triste!

abração jacu!

Lucas said...

Olá, meu nome é Lucas Nascimento e eu sou o autor do texto, publicado na revista Offline, nº16 e no meu blog http://oblogk.wordpress.com . Ele é livre para ser copiado, contanto que não se ganhe lucro sobre ele (banners no blog, por exemplo) e que se dê os devidos créditos.

Que bom que gostou

um abraço

Primeira Pessoa said...

a césar o que é de césar e a lucas o que é de lucas. está dado o devido crédito. bem vindo ao primeira pessoa.

abração,
roberto.

Primeira Pessoa said...

qualé, pangaré!
pão com linguiça é melhor que caviar, foigras, trufas...

e, sim, eu me lembro desse lance do "trema na lingüiça" carnavalesco (rs), fouad. mas, nessa minha idade, sou da turma da banda (e tudo o mais) mole...

bicho, tenho pavor de carnaval, mas acho esses blogs populares, que saem às ruas pelo simples compromisso com a diversão, um grande barato. no dia que os bicheiros (e os governos) descobrirem esse filão, eu passo a "desgostar".

beijão, zé goela!

r.

Fouad Talal said...

eu tava falando do pão com lingüiça sem trema sô!

comi um no caminho de Descoberto com um recheio de requeijão... trem de doido.

E aproveitei e trouxe um queijo minas meia-cura...

tem queijo minas aí no states? rs

Primeira Pessoa said...

ah, fouad...
disso aí eu manjo...
tem um pão com linguiça num lugar chamado gaúchão (ou gaúcho, sei lá...) ali perto de monlevade, a caminho de valadares (na rodovia da morte) que é um trem de doido.
indo pra furnas, perto de formiga também tem outro medõin.

pão com linguiça é a melhor coisa do mundo...rs
aliás. meu almoço-janta, hoje, foi um pão sem miolo com linguiça crua de blumenau, presente recebido semana passada... com café com leite...rs

aqui nos e.u.a tem queijo feito por mineiro, sim. mas não é a mesma coisa que os meia-cura daí. é mais naquela linha frescal, mas é bão também.

domingo bebi umas pingas, tava num banzo do caráio, fiquei sozinho em casa e devo ter enfrascado quase uma garrafa de maria da fé, bem boazinha, da produção do ex-vice zé de alencar.

foi presente do tadeu martins, com a recomendação de que era a pinga favorita do lula.

bebi assim mesmo...rs

beijão,
r.

Fouad Talal said...

haja fé! rsrs
só com cachaça mesmo...

beijão!

Primeira Pessoa said...

e se tivesse um tira-gosto de linguicinha fina, de porco, ligeiramente apimentada, ficava muuuuuito melhor... ah, isso ficava.

num é não, fouad?

Mirze Souza said...

Ah Reforminha burra! Sem o trema, tudo fica esquisito.

Vou fazer uma revolução à favor do trema. Como falar (escrever) linguiça. arguição, tranquilo?

Como posso dormir tranquila?

Beijos, meu amigo!

Mirze

Henrique ANTUNES FERREIRA said...

Robertamigo

Antes do mais: também sou jornalista e dizem que... escritor; dizem. Tenho 69 aninhos, mas tento manter-me tão jovem quanto possível; maluquices de ancião, pois o Shangrilah...

Por estas bandas do lado de cá do nosso Atlântico (que nos separa, mas que nos une) o trema há muito que faleceu e está enterrado; assunto arrumado.

Com o novo Acordo Hortugraphico, - ai que o malandro do corrector ensandeceu, ai, ai - o Português ganha nova vida, sobretudo pelo que recebemos de vocês, mais jovens, mais vibrantes, mais alegres.

Mas, tudo tem o seu preço. Morra o trema, viva a nossa Língua!!!

Lá no meu cantinho decorre mais um PASSATEMPO/CONCURSO com prémios e tudo: livros e CDs de música portuguesa. Se quiseres aparecer, não pagas imposto (ainda...)

Abs

Fouad Talal said...

esse papo vai longe, isso porque eu não te falei da lingüiça (com trema) e recheada com jiló que experimentei um tempo atrás...

de lamber os beiços meu cumpade!

já vi que nós vamos ter que fazer outro banquete, tem jeito não. rs

tô na fita!
aquele abraço!

Primeira Pessoa said...

putz, fouad... linguiça com jiló? onde? tenho que ir lá... vamos jutos.
descobri no mercado central um buteco que vende pastel com jiló, carne moída e queijo... um espanto... além de ter o melhor pé de porco, a melhor rabada, a melhor maçã-de-peito, eles tem uma asinha de frango (!) recheada que é antológica.

bora lá?

abração do
r.

Primeira Pessoa said...

henrique, irei com prazer ao seu site. gostei da forma bem humorada com que chegou e, espero, que venha outras vezes.

esse blog é um ponto de encontro de amigos que gostam de compartilhar a palavra.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

mirze,
eu entro na turma da revolução pró-trema.
onde é que eu assino?

abração do

roberto.