Friday, April 30, 2010


















Comecei a fumar para te pedir lume.
Para arranjar um motivo. Para.
Tens lume? Perguntei-te.
Sim. Disseste. Levaste a mão ao bolso.
Engatilhaste o zippo. Todo prateado.
Abeiraste-te e fizeste concha com a mão direita.
Eras canhoto, como o coração.
Agora. Disseste.
E levei o cigarro até à chama.
Já está. E sorriste.
Importas-te que te acompanhe? Perguntaste.
Não, claro que não. Claro que não.
Está frio. Disseste. E esfregaste as mãos.
O cigarro sempre aquece.
Sim. Tossi.
Estás bem? Perguntaste.
Estou muito bem.
Óptimo. Disseste. E sorriste.
Aquele café além é acolhedor. Não tomas nada?
Um chá fazia bem à tosse. Perguntaste. E disseste.
Sim, um chá calhava bem. Estava mesmo a apetecer-me.
Parece que adivinhei. Disseste. E aí sorri eu.
Tomámos chá e de imediato fizemos planos de vida
Que correram mal, imediatamente mal.


Comecei a fumar para te pedir lume.
Para passar o frio.
Descobri que não viria a morrer
Nem de cancro pulmonar, nem de amor,
mas da própria morte, mal o lume se apagou
e o café fechou as portas. Para sempre.

Ana Salomé → via O Cicio de Salomé, 21 de Janeiro de 2009


***

A Música Que Toca Sem Parar:

Renato Braz canta O Amor, poema de Vladimir Maiakovski , musicado por Caetano Veloso e Ney Costa Santos.


Talvez quem sabe, um dia
por uma alameda do zoológico
ela também chegará
ela que também amava os animais
entrará sorridente assim como está
na foto sobre a mesa
ela é tão bonita
ela é tão bonita que na certa eles a ressuscitarão

o século trinta vencerá
o coração destroçado já
pelas mesquinharias
agora vamos alcançar
tudo o que não podemos amar na vida
com o estrelar das noites inumeráveis

ressuscita-me
ainda que mais não seja
porque sou poeta
e ansiava o futuro

ressuscita-me
lutando contra as misérias do quotidiano
ressuscita-me por isso

ressuscita-me
quero acabar de viver o que me cabe
minha vida para que não mais existam amores servis

ressuscita-me
para que a partir de hoje a partir de hoje
a família se transforme

e o pai seja pelo menos o universo
e a mãe seja no mínimo a terra
a terra
a terra

63 comments:

Fatima said...

Que lindeza Roberto!
Gosto desta música com a Gal, mas ela é linda de qualquer jeito.
Bjs.

Jorge Pimenta said...

Se não é um texto de cortar a respiração... Nada do que a Ana Salomé escreve me surpreende; tem um domínio da palavra tão singular que parece tornar trivialidades em verdadeiras preciosidades. E este seu registo quase coisificante, tantas vezes ligado ao real, tornam-na trovadora da vida. Belíssimo o texto! Soberba a foto! Bravo!
Um abraço, Amigo Roberto!

Tânia regina Contreiras said...

O máximo, simplesmente! Queria eu ter escrito, é assim quando gosto muito: "por que não pensei em fazer isso?". Mas que bom que não o fiz, porque me encanto muito mais vendo de fora.

Abraços

nina rizzi said...

nossa, o poema da salomé é tão bom que dá vontade de sair dançando com cigarros na boca e a cabeça dos batistas nas bandeja.

e essa música, dá uma redundância na minha vontade de chorar.

um beijo.

Primeira Pessoa said...

fátima,
renato braz é a maior revelação do canto do brasil.

gosto de tudoi o que ele canta. do jeito que ele canta.

e como canta bem esse menino....

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

jorgíssimo,
caso tenha acesso à poeta, informe-a de que nosso nucleo de amigos agora se serve das palavras dela,
suntuoso banquete.
to pensando o que vou fazer das fotos que você me mandou (rs)..

costurar na boba ce de um sapo?
bruxedos?

ou, guardar na prateleira mais alta?

eu ja tenho a resposta, poeta bracarense.

cada vez mais fã do poeta e da pessoa,

o roberto.

Primeira Pessoa said...

nina,
só não chorei porqu sou mineiro...rs
esses mineiros são duros e fingem que não choram, mesmo quando são copiosos...

ana salomé é lindíssima...

li coisas dela espalhadas pela globosfera, mas foi o jorge pimenta quem me deu a dimensão maior do e mais aproximada do alcance das palavras delas.

menina de talento, presente e futuro.

assim como você.

Primeira Pessoa said...

ah, tânia...

então faça como eu... curta.
e curta muito.

e curta mais.

fico em transe quando leio algo que me toca.
e este poema é mais que tocante.

ah, um detalhe: eu comecei a fumar porque sou burro. rs
tá foda abandonar o parliament...

tá foda...

Marcantonio said...

Rapaz, estou literalmente de queixo caído. Nem ouvi o abracadabra. Que poema!

Um abraço de outro burro fumante.

Primeira Pessoa said...

a poesia e o poema se renovam, marcantônio.
e,espero, nós, fumantes, também.

semana que vem eu paro...rs

Rita Contreiras said...

O poema é de tirar o fôlego(não só pelo cigarro!!!)!A música, uma das mais lindas que já ouvi com um casamento perfeito entre letra e melodia! seu perfil, uma poesia!Abraço.

Mulher na Polícia said...

Desculpe, o senhor...

Cheguei aqui pelas pegadas de alguém. Tive a sensação de que você estava me seguindo.

Sim era você!
Tenho certeza.

Me sinto tímida nesse baita blog... mas, vou ficar de olho...

Espera!
O quê vocês estavam fumando???

: )

Um beijo,
Obrigada!

Primeira Pessoa said...

rita,
o que mais me chama a atenção é a maturidade poética da autora do poema.
esta ja nasceu grande.

seja bem vinda ao blog!

Primeira Pessoa said...

dona polícia...
sou filho de um policial... rs

portanto, conheço mais deste oficio do que a sra possa imaginar. aliás, eu não ser um, é a maior frustração de meu pai. alguns de meus amigos de infancia (estudei em colegio militar) estao hoje no comando de alguns batalhões da policia mineira.
bom pra eles. melhor ainda pra mim.

nao nasci pra ser coronel... nasci pra brincar com o verbo... não nasci para enquadrar nada. nem mesmo as palavras.


ah, e o que to fumando?
e tragando?

rs...
ah, isto eu não conto. nem sob tortura.

sim, seja bem vinda ao blog. e, sim, sou um dos seus seguidores de seu belo blog (achei legal a forma com que voce se expressa).

seja bem vinda à sbórnia! tem um tantão de gente muito legal por aqui.

abraço grande do
roberto.

J. said...

Que triste, e trágico, e solitário...

LauraAlberto said...

Roberto,
ontem falei com o Jorge, ele tinha-me dito que tinhas publicado um texto da Ana Salomé. Mas o mais engraçado de tudo, é que este é que nem uma luva, e eu já escrebi isto esta semana, rrrrssssss!!
Bom fim de semana.
Beijos
Laura

Zélia Guardiano said...

Hoje venho sem aquela minha verbiagem...
Não tenho palavras. Só duas: lindo demais!

Um abraço, Roberto

Primeira Pessoa said...

zélia,
ja ouviu falar em poder de síntese? rs
hoje você estava assim....
e mandoumuitíssimo bem.
abraços,
roberto.

PS: fiquei rindo sozinho, meio sintático, meio sintético... pode um trem desses? rs

Primeira Pessoa said...

pois é, laura...
eu ja conhecia o poema da ana salomé de um outro blog... acho que do dança dos erros, um blog muito legal, meio misterioso, cheio de imagens bonitas e poemas escolhidos a dedo. (sem falar que tem sempre uma musiquinha tocando... meio dark... rs... musicas apropriadas pra se escutar 5 minutos antes de se cortar os pulsos... rs... é meu único senão...rs... mas música bonita e de bom gosto, que se diga... refiro-me ao excesso de melancolia nas canções... é como se tivesse sempre alguem morrendo...rs)
pois bem: esta semana o jorge me mandou o poema da ana salomé e fiquei com vontade de postá-lo. cheguei a pedir uma foto da autora a ele...

e deu certinho.

to precisando te fazer uma visita. tive uma semana difícil. mal consegui postar.
preciso visitar, com urgencia, meus blogs amigos.
cotidianamente, como sempre foi.

abraço carinhoso do
roberto.

Primeira Pessoa said...

que bonito, j. uai...
que bonito!
sim, tem um tantão de tristeza, de constatação e de coração quebrado.
mas tem outro tantão de acontecido. cumprido. sacramentado.

princípio, meio e fim.

num é não?

Assis Freitas said...

Rapaz isso aqui tá parecendo um pub de jazz pela quantidade de fumaça, valha-me Deus, Nossa Senhora. A Salomé é mesmo poderosa com as palavras. Hoje é 1 de maio. Lembra-me um tempo em que havia canções e manifestações. Abração.

Primeira Pessoa said...

assis,
minha filha bebel faz primeira comunhão, hoje.
primeiro de maio. ela, que completa nove anos em outubro.

a data ganhou importancia pra mim.

eu que sou catolico de meia pataca e nunca comunguei. nunca comi daquela bolachinha que o padre dá pro povo em fila indiana que se dispersa.

ó, mas que vai ser bonitinho vê-la vestida de anjo, ah, isso vai.

o que ja é uma canção. o que já é um manifesto.
num é não?

abraçao, amigo.
R.

Assis Freitas said...

Cara, voltei. Voltei prá dizer que paguei todos os micos católicos, inclusive fiz a primeira comunhão. vc precisa ver as fotos, precisa não, rs,rs, Comungar então fui craque. Mãe só liberava a gente prá jogar bola no domingo depois da missa. E confessar, arre, rapaz dá um livro. Dá um cheiro na Bebel. Abração.

Paulo Jorge Dumaresq said...

Caríssimo, depois de ler esse poema da Salomé fiquei com receio da minha cabeça terminar numa bandeja de prata. (rs).
Outra grande poetisa portuga que você me apresenta, Roberto.
Poetisa porreta como você e o Primeira Pessoa.
A música (versão) do gênio Caetano é phoda também. Gostei dela (música) com o Renato Braz, mas na voz de Gal é de arrepiar.
Meu irmão, um ótimo feriado e excelente domingo.

Juan Moravagine Carneiro said...

Intenso...!

Juan Moravagine Carneiro said...

Intenso e belo...!

Júlio Castellain said...

...
Abraço, meu amigo.
...

Inês said...

Que boas citações!
Estou agora conhecendo essa Ana Salomé!
Gostei deste blog!
Um abraço!

LauraAlberto said...

Ah, Roberto, tenho a cereteza que ontem a sua filha foi muito mais que um anjo!:-)!!!
Não se preocupe com a visita, eu sei que acaba por ir lá cair, salve seja!
Bom domingo

Primeira Pessoa said...

lauríssima, que seu domingo seja igualmente bom.
vou passar boa parte do meu na horta, plantando ervas... ( na minha horta tem que ter hortelã, alecrim, manjericão, funcho, sálvia, tomilho, orégano... ceboullete, essas coisas...)

ah, sim, a bebel tava linda.
parecia um anjo. era a mais linda de todas (rs).

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

inês,
ana salomé o presente e o futuro da poesia.
fico feliz que tenha gostado das palavras que ela semeia e colhe.

e fico mais feliz ainda que tenha se sentido bem aqui, netes minifúndio virtual.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

julio,
abraço retribuído.
devidamente retribuído, que se diga.

R.

Primeira Pessoa said...

juan
e fica mais intenso e belo ainda, tenha certeza, quando pessoas sensíveis e antenadas como você, pousam neste galho, nesta flor.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

paulo poeta,
vou te mandar o renato cantando esquina do continente, do seu conterrâneo (e provavelmente amigo... posto que natal não é uma mega metrópole) pedrinho mendes.

aí cê me diz se gosta (rs).

e o poema da salomé?
decapitante!

beijão, poeta da estrela dos mares.

Primeira Pessoa said...

assis,
na igreja, ontem, kiko salles (um irmão querido daqui e de minas, como eu) me contava , entre orgulhoso (ele é um de meus últimos amigos católicos... destes que vão à missa) e envergonhado, pelas fotos de sua primeira comunhão, feitas ha mais de 40 anos, numa cidadezinha vizinha de são joão del rey.

fica pior a estória:
ele ainda foi coroínha.

não resisti e perguntei-lhe se naquele tempo pedofilia já tinha esse nome (rs).
esse papo de xibiu de menino e de padre rolando dentro da igreja...rs

preciso aprender a me comportar, assis...
eu preciso...

Magnolia said...

Descobriste a Ana Salomé, Roberto...
Ela e das novas promessas da nossa poesia...Muito bom
O Renato eu descobri pela tua mão..
Beijo

Primeira Pessoa said...

este nosso intercâmbio já começa a frutificar.
vamos descobrindo novos nomes, novos talentos, acendendo novas amizades.

viva a vida, magnólia!

Paulo Jorge Dumaresq said...

Sim, Roberto, o Pedrinho Mendes é meu amigo.
Grande Figura.
O Renato Braz tem muitos amigos em Natal.
Na década de 90 ele vinha nos visitar com certa frequência.
Amigo, grande abraço e ótimos dias.

Primeira Pessoa said...

paulo poeta,
você tem esta versão do renato cantando este hino de amor à sua cidade, que é Esquina do Continente?
se não tiver, envio-te por email.

abs
roberto.

Iara Maria Carvalho said...

A música me voou de tão bela.

E poema, me libertou. Ouvi as vozes aqui dentro. Na segunda pessoa da minha esquisofrenia poética.

Beijo!

Primeira Pessoa said...

a poesia liberta... ou aprisiona, dependendo da situação...
bom mesmo é quando ela nos dá asas.
como agora.
embalada no vento de uma bela canção.

bem vinda, uma vez mais, Iara.

abração do
roberto.

Fouad Talal said...

GALOOO0000000000000!!!!!!!!!!!

CAMPEÃO MINEIRO DE 2010!

(DEPOIS VOCÊ ASSISTE NO YOUTUBE O MARQUES TRANSFORMANDO SUA PRÓPRIA CAMISA EM BANDEIRA PRA TODA TORCIDA DO ATLÉTICO NO MINEIRÃO!) COISA MAIS LINDA QUE EU VI EM TEMPOS NO FUTEBOL!!!

(NÃO PUDE DEIXAR DE ZUAR UM CRUZEIRENSE A NÍVEL INTERNACIONAL, DEPOIS QUE DESCOBRI SEU TIME LÁ NO TANTO MAR... RSRSRSRSRS)

ABRAÇOS CAMPEÕES! =)))))))))))))))

Primeira Pessoa said...

ô, fouad...
pelo entusiasmo (putz... como o atleticano é exagerado, meu jesuscristim!...) parece que cês foram campeões da libertadores.... rs... do mundo.... da via lactea...

marques? uai, mas esse não é um ex-jogador?

enquanto cês eram "campeões" da libertadores do sertão (rs) eu dormia, me concentrando para o jogo do cruzeiro na libertadores da américa... uma competição de real valor... de peso...rs


ô, fosse o campeonato mineiro disputado por pontos corridos cês teriam sido os quintos... e são campeões sem vencer o arquirival cruzeiro... cumé que pode isto??? rs

ó, tenho grandes amigos atleticanos... e a peleja entre "nosotros" não é santa, não.

quando o assunto é futebol, da gengiva pra baixo é tudo canela.

mesmo assim, parabéns pela conquista do mineiro.

é pouquinho, eu sei, mas pra quem não ganha nada ha muito tempo, é um tantão. (rs)

fouad, toma uma gelada também por mim.
abração, poeta!

Fouad Talal said...

Podexá Roberto!

Num dá pra deixar de concordar que alegria de atleticano nos últimos longos tempos é igual o aperitivo que vai junto com a cerva, 'só pra enganar mesmo'... =/
Mas hoje é nós! =)
Até!

Primeira Pessoa said...

(rs)...
alegria de atleticano é alegria....
e alegria é pra ser desfrutada.
do aperitivo à sobremesa.

curta muito.
por merecimento.

abração, fouad.

do cruzeirense
r.

Jorge Pimenta said...

Por falar em galo futebolístico (cachola, mais à portuguesa): o meu Benfica perdeu com o Porto, ontem, e adiou por mais uma semana a decisão do título de campeão nacional. Raios!
A propósito, o Pedro lança lá no viagens de luz e sombra um desafio bem apetitoso: uma tertúlia poética em terras de Vera Cruz. Uma espécie de reunião acima da blogosfera. E considera-te o guru para a sua organização, Roberto, hihihi. Olha lá se isso avança mesmo, hehe!
Um abraço, Amigo!

Primeira Pessoa said...

jorgíssimo,
ainda não sei do que se trata, mas partindo do ramúcio, não deve ser coisa boa...rs
organizar uma suruba literária? uma orgia poética? rs
nem jesuscristinho daria conta...
mas vou lá ver do que se trata... vou la ver...
e conto lá mesmo o que acho...rs

jorge, em portugal eu era vitória de guimarães, por causa de um brasileiro chamado paulinho cascavel. o artilheiro foi para o sporting e me levou junto.

por causa de um personagem inventado e dolorido demais, nos últimos 3 anos nutri certa simpatia pelo benfica.

continuei benfica por ramires e luizão (que saíram do meu cruzeiro).

e agora por você.

abraços,
r.

líria porto said...

amore
só pra dizer que gosto de ti!
tou pra lá da beirada!
besos

Jorge Pimenta said...

Ramires? bom de bola!
Luisão? de todos o maior! Hoje, ele já se (con)funde com aquilo a que chamamos mística benfiquista. Admirávelm a sua coragem, força e garra!
Não foi esta semana a festa? Será na próxima.
Do Brasil simpatizava com o Vasco da Gama (tenho família no Rio que é adepta do Vasco). Presentemente não sigo com atenção.
Um abraço!

Primeira Pessoa said...

pô, Lírica...
e eu que pensava que fosse amor...rs

que dizer então que cê "só gosta" de muá?

ô, é sério: sentimos sua falta por aqui. mosquitinho mais filhadaputa. dengue só pode ser invenção do PFL...rs

vê se volta logo.
volta devagarinho.
mas volta "decumforça"... rs


voltaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
sem você, nos sentimos meio viúvos... meio órfãos...
manja como?
beijão
R.

Primeira Pessoa said...

jorgíssimo...
vou te arrumar outro time no brasil.
que tal o berço de ramires e luizão?
nossa camisa é azul.
como o céu. como o mar. como o planeta terra, visto de vima.

além do mais, o azul é a cor mais azul que axiste.

além do mais, para cada cruzeirense que eu recrutar, passarei um dia a menos no inferno.

vendi minha alma a um Deus (rs) de chuteiras (sapatilhas, como chamam aí em portugal).

cruzeirense, então?

Tânia regina Contreiras said...

Hiii....li aqui os fumantes chamando-de de burros...o Marquinho também. Ah, não vou me chamar não...srsr... É uma compensação qualquer, uma oralidade mal resolvida, qualquer coisa assim que explique, embora não justifique. Vou parar, sei que vou. Tudo um dia pára. Sei lá quando... Mas confesso que acho bonitinha a fumaça subindo e desenhando formas no ar. Mas mata. Sem apologia, portanto, pra não dá mau exemplo. rs

Abraços

Primeira Pessoa said...

sem apologia, claro... rs

mas que é fifícil largar o cigarro, ah... isto é.

to na peleja.

abração,
r.

líria porto said...

é amor!
besos

Primeira Pessoa said...

só faltou a voz de zezé di camargo e luciano esganiçando o refrão "é o amooooooooooooooooôôôô....

cê sabe que eu te adoro.
e que adélia prado nunca mais foi a mesma pra mim, depois que te li.

preciso falar mais?

Jorge Pimenta said...

Pois, que alternativa tenho eu? (hehehe). Com esse poder de persuasão, não há volta a dar. Cruzeirense, pois claro (mesmo sabendo que a cor da camisa - camisola, cá em Portugal - é azul, a cor do rival maior do Benfica: o Porto. Em todo o caso, é um azul conotado com a vida e não com as maleitas futebolísticas que da cidade Invicta sempre chegam. Ainda ontem apedrejaram o autocarro do Benfica, arremessaram tinta e bolas de golfe. Já parecia um jogo da liga argentina ou colombiana. Irra!).
A propósito, cá dizemos chuteiras ou botas (as de pitão) para o futebol no relvado (gramado); a sapatilha é rasa e destina-se a desportos de pavilhão.
Um abraço, Robertílimo (perdoa-me a falta de originalidade na usurpação do sufixo superlativo; introduzi-lhe uma pequena nuance :)

Primeira Pessoa said...

robertílimo?
fiquei cheio de estilo...rs

e, jorgíssimo, quando voce for a minas conhecer o ramucio, a liria porto... e a turma toda, levarei-te ao mineirão para vermos o nosso glorioso jogar.

e, como tenho a felicidade de ter como amigo um dos maiores idolos da história do clube, o eterno capitào da esquadra argentina (e do cruzeiro) juan pablo sorin, sairemos para jantar, todos.

e teremos sarau.
e teremos bebedeira.

e teremos ressaca.
como qualquer mortal.

abração azul-celeste do
roberto.

Jorge Pimenta said...

Glorioso? Ena, bom sintoma! Esse é o epíteto maior do Benfica, cá pelas terra.
Sorin? Esse que jogou na década de 90 também em Itália (ou terá sido Espanha?...)
Boa! Eu alinho!
Um abraço!

líria porto said...

oh - num brinca com essa história de adélia não - que com ídolo não se mexe! para mim ter a pele das mãos manchadas e cabelos brancos é um luxo! se um dia eu chegar num dedim, numa unhinha dela, já estarei feliz!

besos!

Primeira Pessoa said...

sim, jorgíssmo,
o também seu (rs) glorioso cruzeiro esporte clube... clube que começou com a colônia italiana em belo horizonte e hoje tem um patrimônio de 7 milhões de torcedores espalhados pelo mundo.
você acertou: sorín jogou na itália (juventus e lazio), espanha (barcelona e vilareal) e alemanha (hamburgo).

começou sua carreira no argentinos juniors, indo posteriormente ao river plate, de onde seguiu para o cruzeiro, clube que acabaria por "adotar". acabou se transformando numa das maiores figuras da história do clube e se identificou de tal maneira que hoje vemos espalhadas por minas gerais, indiferentes à rivalidade brasil/argentina, camisas da seleção portenha.

sorin, que escreve (bem!).
ha quatro anos fui com ele a buenos aires, onde ele lançou "Grandes Chicos", um livro em que diversas personalidades argentinas contavam uma passagem da infância. entre as feras, fito paez e eduardo galeano. caso tenha paciência, veja o link: http://books.google.com/books?id=HLpZ97FXV6EC&dq=juan+pablo+sorin+libro+grandes+chicos&printsec=frontcover&source=bn&hl=en&ei=7kzfS-eiCsKblgeVm8DxBA&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=4&ved=0CBwQ6AEwAw#v=onepage&q&f=false

tem boas surpresas ali. em bom espanhol. rs

sorin vive hoje em bh, quando poderia ver em buenos aires, milão, roma, barcelona ou onde bem entendesse... mas optou viver nas montanhas mineiras.
e por amor. e por amor somente.
é amado pelo povo mineiro, e respeitadíssimo até mesmo pelos arquirivais do atlético-mg (uma espécie de FC Porto alvinegro).

bora lá?

Primeira Pessoa said...

lírica, eu não sabia queas moças de araxá eram assim, digamos, tão modestas...rs

ou cê muda, ou mando o aedes te picar novamente.

beijão,
r.

Luciana Marinho said...

tão belo...
como aqueles momentos em que estamos
envolvidos pela poesia e não sabemos.

(o "primeira pessoa" está muito acolhedor)

beijoca!

Primeira Pessoa said...

luciana,
sinta-se acolhida, então.

eu, fã de carteirinha do máquina lírica, estendo o tapete azul do primeira pessoa para os seus pés pernambucanos.

abração do
roberto.