Wednesday, June 23, 2010

.

Retrato Ardente

Entre os teus lábios
é que a loucura acode
desce à garganta,
invade a água.

No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.

Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha.

-Eugénio de Andrade, in Obscuro Domínio.-


A Música Que Toca Sem Parar:
Milton Nascimento
e Fito Paez, da autoria do argentino, Yo Vengo A Ofrecer Mi Corazón, gravada ao vivo durante show realizado no teatro do museu de San Telmo, em Buenos Aires.











¿Quién dijo que todo está perdido?
yo vengo a ofrecer mi corazón,
tanta sangre que se llevó el río,
yo vengo a ofrecer mi corazón.

No será tan fácil, ya sé qué pasa,
no será tan simple como pensaba,
como abrir el pecho y sacar el alma,
una cuchillada del amor.

Luna de los pobres siempre abierta,
yo vengo a ofrecer mi corazón,
como un documento inalterable
yo vengo a ofrecer mi corazón.

Y uniré las puntas de un mismo lazo,
y me iré tranquilo, me iré despacio,
y te daré todo, y me darás algo,
algo que me alivie un poco más.

Cuando no haya nadie cerca o lejos,
yo vengo a ofrecer mi corazón.
cuando los satélites no alcancen,
yo vengo a ofrecer mi corazón.

Y hablo de países y de esperanzas,
hablo por la vida, hablo por la nada,
hablo de cambiar ésta, nuestra casa,
de cambiarla por cambiar, nomás.

¿Quién dijo que todo está perdido?
yo vengo a ofrecer mi corazón.

46 comments:

líria porto said...

belo o poema, mais ainda o milton - a sua voz de aço - cantando castellano!!!

besos

OutrosEncantos said...

Rogério, você já mandou uma vez eu me internar por causa de Eugénio... :)), pois se prepara porque vai ter que repetir de todas as vezes que o publicar, porque desse homem/poeta eu sou eternamente apaixonada, viu?!

Igualmente linda essa musica com letra e voz de encantar. :)

Beijo.

Lídia Borges said...

Cada poema de Eugénio de Andrade é um pedaço de Verão.
Menos informada me sinto sobre essa música de Milton Nascimento. Vou procurá-la.

L.B.

Ada Fraga said...

Linda a música "yo vengo a oferecer mi corazón", nem me lembrava da bela voz de Milton Nascimento.

Adorei!

Ale Danyluk said...

Eugenio de Andrade é mister em tudo que escreveu. E você é ímpar nas suas sempre felizes escolhas. Digo ranto escritas como sonoras.

Bjo
Ale

nina rizzi said...

olha, menino, essa é uma das minhas canções preferidas. e é mais que uma canção, é um discurso amoroso, dos mais verdadeiros.

eu-génio, talvez tudo já tenha sido dito, mas nuncanunca é demais.

obrigada :)
beijos.

Jorge Pimenta said...

não conhecia este poema de eugénio de andrade, um dos poetas cuja voz mais fundo consegue chegar em mim. soberbo! à medida que descemos os olhos pelas estrofes, quase conseguimos ver a mulher amada a desnudar-se diante do rosto em chama, como se o génesis tivesse sido escrito ali, naquela cama, por aquela mão, diante do ser mais incompleto da criação: o eu que ama.
um abraço, poeta-amigo!
p.s. a tua pátria adoptiva acaba de conseguir um brilharete lá no mundial de futebol, não?

Tania regina Contreiras said...

Que coisa mais bonita esse poema, que-coisa-mais-bonita!!! Acho que vou criar um ciclo para ler esse poeta, só ele, que esa é leitura que basta.

E o Milton...ah, o Milton não tem boca não, ou melhor dizendo, a boca é cravada direto no coração, porque a voz sai de lá!

Abraços, Roberto..
Tânia

Fatima said...

Ah!
Música lindíssima!
Como vc sabe sou devota do Milton Nascimento, estudei canto pela primeira vez na escola dele : Música de Minas, mas amo esta música com a Mercedes Sosa.
Bjs querido.

Juliana Vinagre said...

Lindo poema...
E o Milton... (suspiros)
Outro dia fui a um show do Lô Borges com participação do Milton. Chorei do exato minuto que o Milton pisou no palco até o exato instante que ele o deixou.
Nenhuma outra voz me toca tão profundamente...

Beijos
Diubs

Primeira Pessoa said...

milton canta uma língua só dele, lírica... a língua universal da canção...
e, universal, também, é o carinho que tenho por ti, dama de araguari.

beijos,
r.

Primeira Pessoa said...

moça do OutrosEncantos,
essa fusão de milton com eugénio não dá errado, jamais...
te internar?
uai, só se for em um bar.rs

abraços do
rogério (rs).

Primeira Pessoa said...

lídia,
caso queira, posso lhe enviar o mp3desta canção. tenho compartilhado (com alegria)as cantigas do blog com meus amigos.

e eugénio? ele é senhor das quatro estações.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

olha, ada,
é-me impossível esquecer do timbre único de milton nascimento.
um dos mais raros, posso assegurar.

feliz por te ver aqui, deixo um
abraço.

Roberto.

Primeira Pessoa said...

ale,
fico feliz que tenha agradado com esse raro par.
eugénio e milton.... são bons de apreciar, tanto juntos quanto entrelaçados.

abração do
roberto.

OutrosEncantos said...

Desculpa te trocar o nome, Roberto, foi sem querer, mas também não precisava exagerar, né...?! rsss

Beijo

Primeira Pessoa said...

nina,
a canção de fito paez ou a de eugénio.
se for a de fito, acho que o renato gravou-a no disco ao vivo com o zé renato.
assim que tiver em mãos, compartilho.

passei no ellenismos e enchi os olhos... ta lindo...
dá gosto ver seu esmero.

dá gosto o seu bom gosto.
e seus poemas estão saindo do forno lindos, prontos, confeitados de sentimentos.

beijo e admiração do

r.

Primeira Pessoa said...

jorgíssimo,
minha segunda pátria (ah, esse meu coração yankee, esse peito de puta...rs) passou ao apagar das luzes.
é pouco pra esse povo, que anda numa imensa crise de identidade e sem muitos motivos pra sorrir.

eugénio?
génio.
cada dia uma descoberta nova. mesmo que ja tenha lido o poema e ele tenha se escondido em algum canto ainda mais esquecido de mim.

beijão, poeta do minho.
seu amigo que você~demorou pra encontrar (rs)...
o
r.

Gerana Damulakis said...

Eugênio de Andrade me tira o fôlego; genial!

Primeira Pessoa said...

taninha,
acho que qualquer ciclo é ciclo pra se curtir milton e eugénio.
ando numa tristeza de doer... mas a canção e o poema são bálsamos definitivos.

paliativos?
jamais.

beijào,
r.

Primeira Pessoa said...

fátima, ce ta falando daquele projeto do milton com a babaya?

milton é mestre.
entristece-me vê-lo tão longe de minas, perdido de si próprio.

é como o sinto de uns tempos pra cá.

na volta à casa pode estar o caminho ao destino que lhe foi traçado.

sou fã.
enão é de hoje.

abração do

r.

Primeira Pessoa said...

diubs,
to com saudade de balangar beiço com você.
muita, viu pangaroa?
precisamos marcar um dia.
ou eu te procurar, sem marcar porra nenhuma...rs

beijo maior, de mim procê.

r.

Primeira Pessoa said...

moça dos outrosEncantos, eu não me importei.
na verdade, é a primeira vez que me chamam de rogério. chamam muito de outros nomes... principalmente, de renato...rs, desde menininho...

devo ter cara de renato, renascido...

ó, e não me zanguei.
achei até que fiquei bem de rogério...rs

beijão do
r.

Primeira Pessoa said...

gerana,
eugénio é pra ler com balão de oxigênio do ladinho...rs

beijo procê.
r.

Fatima said...

É sim, Babaya foi minha primeira professora de tecnica vocal.
Quanto tempo né!
Bjs.

Júlio Castellain said...

...
Maravilha, Roberto.
Abraços.
...

Zélia Guardiano said...

Tudo lindíssimo, como sói acontecer por aqui...
Enormíssimo abraço, amigo Roberto!!!

ParadoXos said...

um abraço poético!!

Primeira Pessoa said...

abraço retribuído.
bem vinda ao primeira pessoa!
volte sempre que lhe apetecer!

r.

Primeira Pessoa said...

enormíssima é a sua gentileza, zélia.
sempre uma alegria te ver por aqui.
abração do
r.

Primeira Pessoa said...

maravilha, julio!

sempre um prazer te perceber por aqui!

abs,
r.

Primeira Pessoa said...

estava ouvindo um cd da babaya no outro dia. ela e seus alunos.

valorosa, a babaya!

abração, fátima!

Assis Freitas said...

quando leio esses poetas lembro-me do conselho daquele baião: Luiz respeita Januário,


abração

p.s. amanhã é o dia: vai dar empate Brasil e Portugal.

Primeira Pessoa said...

respeita os oito baixos de eugénio, assis freitas...rs


amanhã?
bem que poderia ser um jogo de compadres. mas dunga (tá mais pra zangado) tem algo a provar.

já to "concentrado" pro jogo.

beijão, assis.

Wilson Torres Nanini said...

Eugénio é um bom banquete, ainda mais encontrá-lo por aqui, adocicado por Milton.

Abraços, Roberto

Luciana Marinho said...

começar o comentário pelo poema? pela música? deixa para lá, os dois mantêm um fino diálogo de sentimentos e beleza!

lindo, roberto!

besos!

Magnolia said...

Sempre bom voltar aqui...e ainda por cima encontrar o " meu poeta "
Beijo Robert

Sílc said...

Primeira Pessoa lindo! Sempre me deleito em visitar sua casa e aprendo, aprendo muito.
Estou te deixando um 'mimo' que está lá na minha Casa. Ele simboliza Amizade que espero poder continuar a usufruir com você.
com amor e carinho,
Sílvia
http://silminhacolchaderetalhos.blogspot.com/

Jorge Pimenta said...

querido amigo, venho aqui deixar-te um abraço com o calor de um verão que começa a deixar a sua marca por cá. desejo que esteja tudo bem contigo.

Assis Freitas said...

rapaz já tá dando mofo neste post, quem tá na net é prá se molhar, rs,rs, num te disse que o jogo seria empate, e o Chile será uma baba, ou um baba, veremos,

abração

Primeira Pessoa said...

assis,
peço desculpas a voce e a todos. não é do meu feitio sair sem dar um até breve.
ando cansado, algumas tristezas acumuladas e o tempo cobrando um preço alto a um corpo que sempre desafiou a ordem natural das coisas.

chile?
é de comer ou passar no cabelo?
até pegar a holanda, penso que estamos mais ou menos seguros.

abraços, poeta.
devagarzinho, estou voltando.

r.

Primeira Pessoa said...

é verão também por aqui, jorgísismo...
verão que se derrama no norte do planeta e nos deixa bem dispostos, com uma imensa vontade de beijar na boca a felicidade e nunca mais olha pra trás.

peço perdão pela ausência.
estou voltando.

saudades de todos vocês.

r.

Primeira Pessoa said...

sil,
estive no seu blog e voltarei muitíssimo.
sua prsença aqui nos traz alegria.

abraço grande do
roberto.

Primeira Pessoa said...

seu poeta faz morada nesta casa, magnólia.

é motivo pra sua volta, sempre...

abração,
r.

Primeira Pessoa said...

luciana,
linda mesmo é a presença de tantas pessoas especiais neste minifúndio de afetos.

é tão bom que até dá vontade de soltar uns foguetes, chamar o spok com a sua orquestra de frevo... o galo da madrugada....

e sair dançando por aí.

abs,
r.

Primeira Pessoa said...

nanini,
senti sua falta por aqui.
de imenso.

senti falta daqui, eu próprio.
abs,
r.