Monday, June 28, 2010

.



















A Gente Não faz Amigos, Reconhece-os

(Postado para Jorge Pimenta, Marcantonio, Assis Freitas, Pedro Ramúcio, Nina, Líria, Andrea, Tânia, Fernando Campanella e toda esta turma linda que faz dos seus - e deste - blogs, a verdadeira Ponte da Amizade)

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis o que permite que o objecto dela se divida em outros afectos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme.
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Ate mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto a minha vida depende de suas existências...
A alguns deles não procuro, basta-me saber que existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas porque não os procuro com assiduidade, não posso dizer-lhes o quanto gosto deles.
Muitos não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não o declare, nem os procure.
E, às vezes, se os procuro, noto que não têm noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque fazem parte do mundo que, tremulamente, fui construindo e tornaram-se alicerces do meu encanto pela vida. Se um deles morrer, ficarei torto para um lado.
Se todos morressem, desabaria!
Por isso é que, sem que eles saibam, rezo pela vida deles e me envergonho porque sei que essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem-estar. E talvez fruto do meu egoísmo...
Por vezes mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer....
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca saibam que são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.”


Vinícius de Moraes


A Música Que toca Sem Parar:
Dele e de Fernando Brant, esse hino à amizade, uma das mais completas formas de Amor. Milton Nascimento, Canção da América.



Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver o seu amigo partir

Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou

Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção
O que importa é ouvir
A voz que vem do coração

Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar

42 comments:

OutrosEncantos said...

Essa declaração de Vinicius que você fez sua/nossa é simplesmente maravilhosa. E não se aflija de ser egoista por achar que é para seu bem, porque é também para o nosso. E nós sabemos que você ama a gente como nós amamos você, mesmo que não se lembre de visitar a gente (EU rsssss...), a gente visita da mesma maneira você...
Hummm..., acho que disse tudo :)))
Gosto de você Roberto.
Beijão!

Primeira Pessoa said...

moça do OutrosEncantos, este post é também seu.

como diria o xangai, lhe arreceba...rs

abs,
r.

líria porto said...

obrigada, betinho - por tudo!! cê faz minha vida melhor!
besos

Assis Freitas said...

a parte que em mim toca é de um gentil encantamento, em sentir-me partícipe e participante desta alegria que é ter referencias de existência, e essas referencias são as amizades. mesmo estas construídas na distancia e materializadas no exercício das palavras,

abraços e abraços

Primeira Pessoa said...

lírica,
eu é que tenho tanto a agradecer a você (s) por estarem fazendo este período da minha vida mais pleno.

como sempre digo, tenho ois melhores amigos que o afeto pode comprar.

beijos,
r.

Michelle Crístal said...

Vinícius de Moraes, boa escolha... Gosto demais dele, escreve o verdadeiro valor de amizade e do amor... O que mais encanta-me é o Soneto de Fidelidade!
Boa Semana

Primeira Pessoa said...

assis,
você (s) é (são) aquele (s) amigo (s) que eu ainda não (re) conhecia

e mais não preciso dizer.
preciso?

precisança, só d'ocêis...rs

beijão, poeta!

r.

Tania regina Contreiras said...

...pois então, menino Roberto: vc tem o dom de "ajuntar" gente em torno de si...o dom de emocionar, com versos, prosas e músicas... Não sei se dá conta disso, mas vc faz o nosso dia-a-dia ficar, muitas vezes, diferente: mais bonito, mais significativo, vc sabe fazer essas coisas como ninguém. De cá agradeço a parte que me cabe nessa homenagem, com essas palavras de Vinicius que sempre me disseram muito, e com a Canção maravilhosa da América.
Importa ouvir a voz que vem do coração, e a sua sempre vem.
Beijo,
Tânia

Marcantonio said...

Ô Roberto, ainda não faz um ano que criei o meu primeiro blog. Sou novato, portanto, nessa coisa de peregrinação virtual. Mas eu, um tanto arredio e tímido, um tanto apegado a vínculos, alguns que cruzam séculos numa forma abstrata, mas profunda de amizade; eu, algo sentimental, desses que custa a deixar a leitura de um romance por me apegar a sua atmosfera, confesso que tenho me encantado com as trocas e integrações que este instrumento eletrônico me possibilita fazer. E é naturalmente que tenho refletido sobre isso. Penso que tal qual nas relações pessoais, através dos blogues podemos intuir características e valores com os quais temos afinidade, porque eles vazam das entrelinhas e das próprias linhas. No meu caso, prezo a sinceridade, a autenticidade, o humanismo, a generosidade, e o esforço por suplantar a vaidade, conteúdos à parte, e criar a familiaridade. Participando diariamente desse círculo de trocas eu me pergunto se é real, se ele existiria "lá fora". E concluo que sim, porque ele não é necessário, não é obrigatório; é espontâneo. E nisso deve haver algum sentido.
Pensando na amizade, creio que ela deva ter aquela coisa de potência e ato. Existe primeiro como predisposição para se concretizar, ocorre antes de tocar o chão.
Tudo isso para dizer que me sensibiliza e orgulha ter o meu nome mencionado como seu amigo na entrada de um texto tão significativo sobre a amizade. Garanto-lhe que a recíproca é verdadeira. Toda amizade é um constante oscilar entre a virtualidade e a virtuosidade.

Um grande abraço deste cara prolixo!

P.s. Eu sou tão babaca que ao atrasar a resposta aos comentários, por falta de tempo, fico preocupado de ferir suscetibilidades. Rs.

Primeira Pessoa said...

michelle,
dizem que vinícius, quando tava bebum, era um porre...rs
mas en não quero nem saber destes pormenores... queria eu ter feito parte do seu cículo mais íntimo, teria aprendido (e rido) muitíssimo...

ele conseguiu traduzir como poucos alguns sentimentos da alma humana que me emocionam.


abração procê,
r.

Primeira Pessoa said...

taninha,
outro dia eu tava me perguntando se sairíamos pra tomar um chope (eu, voce, liria, jorge pimenta, nina, assis... os suspeitos do meu sempre, aqui)...

e fiquei rindo da minha bestagem, como dizem vocês, baianos.
é óbvio que sim. e seria muito legal.

preciso dizer mais?

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

marquinho,
eu acho que começar uma amizade por aqui nesta nossa etapa de vida (já entrados, não mais adolescentes...rs) é bem mais plausível...
primeiro, porque estamos mais experientes e aprendemos a ler nas entrelinhas... sabemos, quase sempre, quando é perfumaria ou quando é genuíno, um pensamento uma frase, que quase sempre traduzem uma forma de pensar e de agir.

ja disse antes que acredito muitíssimo nesta coisa de conhecer a pessoa do umbigo pra fora. reitero aqui.

daqui, desta "nossa"turma, conheci a líria porto, em minha última ida a BH. e foi muito especial.

ela se enturmou logo com meus amigos (amigos de décadas... que fique registrado... pois a vida nos manteve juntos, mesmo à distância)... e fizemos uma mistureba de sarau com cantoria e baixaria inesquecível(meus amigos - e eu próprio - falam (os)muita bobagem...
no final da noite sobra uma frase. e muito de afeto.

sei que um dia muitos de nós nos abraçaremos.

não acredita?
então, prestenção...rs

isto não é uma ameaça. é um vaticínio...rs

abração,
r.

ps: eu tenho andado muito relapso, por problemas outros. mas retomarei, aos pouquinhos, este hábito salutar de visitar cada um dos meus. e postar. e respostar. isto me faz bem.

Tania regina Contreiras said...

ôxi, chope marcado aqui, na hora: o dia fica para quando os deuses quiserem e armarem a história. O chope tá marcado, sim, bestagem pensar que não! rs

Beijos, Roberto

Andrea de Godoy Neto said...

Ô, Roberto! é que tu é um querido!! dessas pessoas que nos trazem um gosto bom à boca, que queremos manter de alguma forma próximo.

Tem coisa que não precisa de muita explicação (até porque o marco já tentou explicar tudo ali em cima...rs..ah, marco, brincadeirinha!!rs)
só precisa de aceitação. Esse reconhecimento de amigos é assim.

fico mesmo honrada de estar entre esses amigos aí citados (aquela andrea sou eu? espero que sim..rs)

Um beijão pessoa cara

Sylvia Araujo said...

Ah, Roberto, que bonito isso. É engraçado como essa história de amizade virtual e identificações através das entrelinhas mexe com a gente. Depois de ficar quase dois meses sem computador, estava sentindo uma falta enorme de visitar outros blogs, ler e escrever sobre a vida, sobre poesia, música, trocar sentimentos e impressões... É coisa que passa mesmo a fazer parte de nós e dos nossos dias, quando existe a afinidade pura das ideias. Bonita a sua homenagem!

Ah, e quanto à dieta e aos remédios, fica firme, que logo passa. É sempre bom dar uma "desintoxicada" de vez em quando. ;)

Beijoca

Zélia Guardiano said...

Roberto
Quando eu era mocinha (gostou do termo? rs...), tive uma amiga que se casou com o namorado que conhecera através do "Correio Sentimental" de uma revista: namoro por correspondência.
Fiquei intrigada com o fato...
Pois não é que, nesta altura da vida, faço amigos por correspondência , através deste "correio sentimental" aqui?
Estabeleço o paralelo para me certificar da verdade que contém este pensamento que sempre me ocorre: o amor e a amizade sempre dão um jeitinho de acontecer. Quando têm de acontecer. Como a nossa amizade...
Grande abraço!

líria porto said...

assim, manhãzinha, eu volto pra te dar um cheiro...
besos

oh, liga não, sou de escrever curto, tu me sabes...

Jorge Pimenta said...

ei, tu aí... acho que te estou a conhecer... reconhecer... pois, sim, és o roberto, aquele que o acaso trouxe para junto de nós (falo da turma) e sem o qual nenhum consegue passar, já. o roberto das palavras-sorriso, o roberto coração-de-menino, o roberto amigo!
e por ser, eu, alguém muito mais intuitivo que racional, não sabes como valorizo os acasos, especialmente os felizes - de que este é o exemplo maior!

“Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
(...) Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero o meu avesso.(...) Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.(...) Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto: e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo, loucos e santos, tontos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."
oscar wilde.
para ti, amigo!
um abracílimo!

Paulo Jorge Dumaresq said...

Ah, Roberto, quanta saudade do Vinicius e seus textos e poemas e canções geniais.
Esse é um primor.
Uma grande semana, amigo.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) said...

Delima,
Arreceba meus agradecimentos, poeta da minha infância que é eterna...
Vinícius? Em casa de Roberto Mendes tem um violão - macio e sedoso - que foi dele, e ele guarda-o como um tesouro, e eu, rastaquera tocador de meios acordes, toda vez que vou lá, quero logo tocar um Sol Maior pro dia nascer feliz...
Precisamos nos ver, cronista da minha plêiade onde habitam Braga e Campos...
Precisamos ir à Bahia, amigo...

Admiração garantida,
Darrama.

nina rizzi said...

arre égua, que eu digo agora, menino? aquelas palavras que a gente (eu?????????) morre de medo de dizer. e outros de ouvir.

brigadim, viu? esse afeto pode não ser material, mas só é real, visse ;)

beijos.

Dois Rios said...

Oi, menino Roberto!

O Vinícius era um plagiador de primeira grandeza. O danado tinha o dom de captar os sentimentos alheios e daí fazia versos como esse, lindos de doer. Era meio como se emprestássemos os nossos pensamentos para que ele os versasse, tamanha a identificação que temos com os seus poemas.

Vou ousar em me incluir nesse teu seleto rol de amigos. Sou pobre, feia, moro longe, nunca te vi, mas gosto de você assim mesmo, rss..

Beijo,
Inês

Primeira Pessoa said...

inês,
mas é óbvio que cê tá nessa listinha.
aliás, listinhas nunca fizeram justiça...

e cê, como toda essa turma, é uma pessoa linda.
pó pará...rs

e, sim, vinícius é um feladaputa... conheço um tantão de estórias engraçadíssimas dele...
e era um gênio...

genial é a nossa amizade.

beijão do
roberto.

Primeira Pessoa said...

nina,
tudo que é do umbigo pra fora é melhor e maior...
saiba disto.

e você é, das pessoas que me frequentam, uma das mais elevadas, mais queridas, mais carinhosas, mais tudo.

já te falei que sou seu fã?
se não disse, digo-o agora.
agorinha, mêsssss...

beijoca do
roberto.

Primeira Pessoa said...

da rama,
vamos à bahia, vamos ao fim do mundo... vamos à casa do caráleo...
mas antes cê tem que se redimir em outubro... e este é um doce castido.

cantoria com chico lobo, paulinho pedra azul e tadeu franco (e outros tantos amigos legais)no dona clara????

ah, e poemas com líria porto...

queria eu ser castigado, assim.
mas dessa vez cê tem que ir.
tem uma cadeira lá... com o seu nome nela.


beijos.

r.

Dira said...

os amigos são tesouros. aqui tem afeto e o afeto reconhece no outro o que o completa. deixo o meu afeto aqui. beijo. prazer.

www.diravieira.zip.net

Primeira Pessoa said...

paulo poeta, saudade maior que esta que jamais deixarei de sentir de vinícius, sinto quando cê passa mais de dois dias sem vir aqui.

saudades do futuro, poeta.
saudadades do sempre.
saudades de você.

beijao do
roberto.

Primeira Pessoa said...

jorge,
pensei tanto em você nesta tarde, quando concluí, definitivamente, que cristiano era bom pro manchester united, e é bom pro real madrid mas não é digno da camisola dos heróis do mar... da mesma forma que ronaldinho gaúcho o é (ou não é!) com a amarelinha do brasil...

bicho, ainda te receberei no brasil e, isto, antes de qualquer lugar do mundo.
e você sairá de lá com uma amarelinha sobre a pele, e ainda mais brasileiro do que eu...rs

abração, poeta.

do seu amigo

roberto.

Primeira Pessoa said...

líria,
cê é senhora dos espaços.
aprender a sinteticar a vida inteira num verbo não é pra qualquer Pessoa...
ah, e o verbo que conjugo, quando me deparo ao seu nome, é o amar.

acho que ce ja sentiu isto, né?

ou, entao, ce ta na profissão (rs) errada...

besos...


r.

Primeira Pessoa said...

tânia,
chope masrcadíssimo.
antes convenceri o dr patel, meu médico, de que tô apto a absorver um porre mais.

cê me espera?

beijos,

r.

Fernando Campanella said...

Ficarei muito feliz se puder ser incluído também nessa lista, Roberto, muito feliz... sou meio bicho do mato, meio arredio, meio perdidinho em meu mundo, mas sei reconhecer um amigo, e valorizá-lo. Que belíssima postagem, crônica, Milton, mensagem poderosa. E olha o que escrevi sobre a amizade em 2007:

"...Sejam do nosso convívio físico, diário, ou os 'virtuais', sejam almas de poetas nos livros que lemos, ou vozes e imagens queridas dos que já nos deixaram, ou mesmo árvores, bichos, amigos transcendem as horas. São filamentos, extensões de anjos que abraçam a terra de pólo a pólo , e por cujas mediação e presença nossos 'ombros suportam o mundo'.

Fernando Campanella, 04 de janeiro de 2007

Abração, Roberto.

Primeira Pessoa said...

fernando, cê que é dos primeiros...rs

tá vendo? é o alemão...rs... alzheimer feladapuita...rs

fernando, cê é dos primeiros... e sei que, assim como você... cometi outras injustiças.

mas já (pelo menos no que diz a você. deixei tudo bonitinho...

tô me melhorando.
beijão do
roberto.

Primeira Pessoa said...

dira,
a amizade talvez seja a forma mais aperfeiçoada (e desinteressada) de amor.

bem vinda seja!

abração do

roberto.

Primeira Pessoa said...

zélia,
a propósito do que cê escreveu, tô mastigando uma cronica sobre o glorioso Instituto Universal Brasileiro.
Os caras ensinavam a ser mágico, detetive, "téquino" em conserto de rádio e até mesmo "hipnotizador"...rs
os formulários de inscrição vinham dentro das revistas da época... principalmente as fotonovelas...rs

fazer amizade como a nossa?
duvido que o glorioso IUB conseguiria.

beijo imenso procê.
do tamanho do meu carinho por você.
certo?

beijão do
roberto.

Primeira Pessoa said...

sylvia,
tá tudo tão doidão, que começo a achar que o real seja uma projeção virtual...

mas, uma vez mais, o que sei eu?

só sei que gosto de te ver-ler por aqui.

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

andréa...
ah, andrea...
uma querida é você, viu?

pessoa doce e meiga.
daquelas pque foram feitas para serem colocadas na prateleira mais alta.

é lá que eu te vejo.


é lá que te beijo.

beijão do

r.

jad said...

Associo-me à festa. É verdade que é curto o tempo que me trouxe para aqui mas sei quando me sinto bem com quem estou. E aqui estou bem.

É sempre um acontecimento vir até cá.

Ps: Na mouche sobre Cristiano Ronaldo. E é uma pena!

Primeira Pessoa said...

jad,
também fiquei no banzo pela eliminaçào de portugal, ontem.
não culpo cristiano ronaldo (temos sempre a mania de culpar alguem, ja notou?) ou qualquer outro jogador, ou membros da comissão técnica.
acho, no entanto, que ronaldo não chamou para si a responsabilidade de maior jogador do mundo que é, ganhando aí a estigma de jogador de clube, que não rende o mesmo quando serve a seleção de seu país.
ronaldinho gaúcho é um caso parecido no futebol brasileiro.
mas, passou... o futebol não paga as nossas penas. saiba disto.

saiba também que é sempre uma alegria te receber por aqui.

abração do
roberto.

Andrea de Godoy Neto said...

ah, roberto!!

tuas palavras são tão gentis e eu gostei tanto dessa imagem que tu fazes de mim...

que nem vou contar que, quando braba,eu até mordo...rsrs
gostei mais de ser meiga

adorei a prateleira mais alta!
gosto sempre dos andares mais altos, das janelas mais abertas, dos terraços mais amplos...

beijo com carinho pra ti

Tania regina Contreiras said...

Cadê você e a nova crônica, heim? Tô aqui na espera de uma nova escrita. Acho que devia ter um aviso aqui na porta: O ministério da saúde adverte, Roberto "viceia", pra ficar na variante liguística..rs

abraços,Roberto!

jad said...

Não sei se deixámos também aí a vocês este hábito muito nosso de "assobiar para o lado" quando se trata de assumir as culpas. Seja como for, sempre sacrificámos homens, animais ou plantas para "expurgir" (expungir+expurgar) os males que nos atormentam.
É verdade que não nos podemos orgulhar deles mas são-nos tão naturais que, sem darmos conta, lá estamos nós à procura das vitimas para o sacrifício e a descarregar a frustração no herói tornado vilão. É o "pathos", o sensível, a paixão. E também deles nos fazemos.

Abraço

Magnolia said...

Os amigos amei
despido de ternura
fatigada;
uns iam, outros vinham,
a nenhum perguntava
porque partia,
porque ficava;
era pouco o que tinha,
pouco o que dava,
mas também só queria
partilhar
a sede de alegria —
por mais amarga.

Eugénio de Andrade

Beijo para o meu amigo Roberto