Wednesday, May 19, 2010


















Arte Poética

Se o poema não serve para dar o nome às coisas
outro nome e ao silêncio outro silêncio,
se não serve para abrir o dia
em duas metades como dois dias resplendecentes
e para dizer o que cada um quer e precisa
ou o que a si mesmo nunca disse.

Se o poema não serve para que o amigo ou a amiga
entrem nele como numa ampla esplanada
e se sentem a conversar longamente com um copo de vinho na mão
sobre as raízes do tempo ou o sabor da coragem
ou como tarda a chegar o tempo frio.

Se o poema não serve para tirar o sono a um canalha
ou ajudar a dormir o inocente
se é inútil para o desejo e o assombro,
para a memória e para o esquecimento.

Se o poema não serve para tornar quem o lê
num fanático
que o poeta então se cale.

António Ramos Rosa, in Sema, 1980

* António Ramos Rosa, fotografia de Gisela Rosa, Outubro de 2008

A Música Que Toca Sem Parar:

Do Songbook de Chico Buarque, de sua autoria e na voz de Eugénia Melo e Castro, Tanto Mar.
Ao piano, o trespontano Wagner Tiso.

29 comments:

Mai said...

Leitura que nos ensina a escrever.
Música de 'Primeira' também.

abraços

Primeira Pessoa said...

que bom que você gostou, mai.
belíssima parceria brasil-portugal.
gosto muito da canção e a leitura de antónio ramos rosa me tem sido obrigatória.

a propósito, acho que você deveria visitar o blog Matriz dos Sonhos, da Gisela Rosa, sobrinha do poeta.
tem poemas lindos lá e várias fotos do poeta, feitas por ela.

http://amatrizdossonhos.blogspot.com/

tenho certeza de que você vai gostar.

abração do
roberto.

J. said...

Exatamente. A poesia foi feita para unir, reunir. Vejamos nós, por exemplo, que dividimos esse espaço virtual. Nunca nos vimos, nunca ouvimos nossas vozes. No entanto, nos unimos, nos sentimos e nos gostamos por causa dessa poesia que inunda nossas palavras, nossas páginas, nossas vidas. É bom dividir isso. A arte aproxima as pessoas. E, meu Deus, como isso é raro. E bom. Eu adoro você, Roberto, mesmo sem nunca ter olhado nos seus olhos, porque você traz aos meus, todos os dias, uma alegria insanamente indescritível.

Beijo grande.

Ju.

Andrea de Godoy Neto said...

sabe, roberto, ontem mesmo comentava com uma amiga sobre as leituras diversas,
penso que quando se lê filosofia, sociologia, teorias, estudos, ensaios (e até autoajuda), busca-se encher a mente, o corpo, o vocabulário, o intelecto...

mas quando lemos poesia, ah! poesia faz-nos o processo inverso, não a lemos para que entre em nós, mas para que nos liberte a alma, para que nos dê asas, nos leve a passeio, para que nos sequestre da lógica, nos desamarre da razão, lê-se poesia não para saciar-se dela, encher a barriga, os ouvidos, a boca, com seus versos, mas para esvaziar-se todo, de tudo o que nos pode limitar, e vazios nos tornarmos imensos buracos negros(brancos), densos de todo o lirismo do mundo

antonio ramos rosa é um gigante sem fundo
e a musica...é chico

abraço grande pra ti

líria porto said...

eu queria estar na tua festa, pá - com a tua gente... e colher pessoalmente uma flor no teu jardim...
besos e um cheiro de alecrim!!

amo esta música!

Tânia regina Contreiras said...

Estava lendo ainda ontem que a poesia "acontece" quando atingimos o limite da expressividade e ela (a poesia) vem como a "entrega", enfim, a reendição. Fico feliz de estar por aqui, e por ali, de volta a esse mundo poético, que foi, por assim dizer, a minha primeira iniciação. Deus não existia quando o vi pela primeira vez (faz tanto tempo) através da poesia.

Hummm....esse sotaque português na música ficou qualquer coisa de muito bela!

Beijo, Roberto1

Zélia Guardiano said...

Roberto

O grande poeta vem confirmar aquilo que eu já suspeitava: boa poesia é gênero de primeiríssima necessidade. Veja quanto serviço ela presta, ao coração e à alma...

A música, bem, a música é simplesmente esta. Precisa falar mais?

E você, sempre você, a nos proporcionar tudo isso...

Um abraço imbuído de tudo que paira aqui.

LauraAlberto said...

Roberto, adorei!
E Viva essa tal de POESIA!!!!!
Bom resto de semana!
Beijo
Laura

tonhOliveira said...



A palavra escrita faz 'cócega' na ALMA!
A poesia tem que tocar lá...

O poeta não pode calar diante da surdez do mundo...

Abraço!

Assis Freitas said...

Até o silencio do poeta é puro fanatismo, pausa de muitas sugestões. Um dia hei de-florar a madrugada. Abração

Primeira Pessoa said...

ramos rosa me chegou faz pouco tempo, assis.
mas já tá por aí desde que a poesia existe.

passa no blog da sobrinha dele, gisela...
você vai se encantar:

http://amatrizdossonhos.blogspot.com/

abração procê, maradona do pelourinho.

r.

Primeira Pessoa said...

poeta bom é aquele que dá "susto" nas palavras.
quem escreveu isto?

acordei lusco-fusco... a memória falhando... quando me lembrar, posto aqui.

bom te receber neste minifúndio de afetos, tonho.

Primeira Pessoa said...

laura,
cê andava mais sumida do que nota de cem doletas no bolso desse aprendiz de blogueiro. ou, melhor dizendo... qualquer nota...rs
mas que bom que reapareceu.

vou até mandar tocar uma música...rs

bom demais te rever por aqui.

beijão do
r.

Primeira Pessoa said...

zélia,
ainda bem que a poesia e a canção podem contar com olhos e ouvidos atentos e sensíveis, como os seus.

preciso dizer mais?
está explicada a razão de existir e ser destas duas abstrações.

abraço poético-musical do
roberto.

Primeira Pessoa said...

zélia,
essa musica do chico é um trem de linda...rs
ja escutei em várias interpretações na voz de de diferentes artistas, mas a melhor de todas é, exatamente com o chico...

well...
o poema... e a existência de Deus.

eles existem dentro dos meus sapatos.

arrogante?
não creio.

por onde vou levo a honra, o sangue e o nome de meu pai.

às vezes acho que somos meninos e meninas-deuses.

beijão procê.

Primeira Pessoa said...

lírica,
vou te mandar o mp3 dessa musiqueta com diferentes interpretações.

quero colocar um cheirinho de alecrim no seu dia.

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

J,
tenho feito amigos queridos por aqui. pessoas que, tenho certeza, eram aqueles meus "amigos que eu ainda não conhecia" (como diria o poeta baiano narlan matos)
olha, esse conhecer as pessoas de "dentro pra fora" é muito bom. porque aqui, a aparência física não conta. o que você possui não tem o menor valor. não se passeia de ferrari num blog...
aqui, a moeda corrente é a palavra. e o afeto, o troco.
as idéias, o código civil. o compartilhar, o seu cumprimento.

só pra você ter uma idéia e cometendo algumas injustiças, entre outros e outras, estes e estas aqui frequentariam minha casa:

liria-jorge-assis-campanella-ninarizzi-jcaribé-taniacontreras-zélia-darama-laura-diubs-marcantônio-inês-mercedesqueandasumida... todos ótimos papos... ótimos astrais...
e, à medida que for lembrando os nomes, vou citando...rs

adoro reparar injustiças.
é uma espécie de redenção, como se estivesse, assim, reescrevendo a história.
a minha, pelo menos.

beijão procê,

r.

ps: tem umas figurinhas que não deixo chegarem muito perto. gente arrogante. prepotente. não é comigo, não. e estes eu evito.

Primeira Pessoa said...

andrea,
muita gente não se dá conta, mas poesia é essencial em tudo. até no pão com manteiga que comemos pela manhã.

sem poesia, a vida não tem a menor graça.
é assim que eu sinto.

beijo grande procê.
r.

Wilson Torres Nanini said...

Roberto,

mais uma das maravilhosas propagações de seu blog.

Agora, perdoe-me: descobri no blog do Pedro, que vc é torcedor do Cruzeiro.

Lamento muito pela desclassificação na Libertadores (rsrs)!!!

Abraços são-paulinos!!!

Primeira Pessoa said...

nanini,
parabéns pela classificação do tricolor.
mas, convenhamos, não precisavam daquela ajudona do juiz, né?
logo no segundo minuto expulsar o kleber por absolutamente NADA?
mudou a estória da partida e, se não tirou em mérito a vitória sãopaulina, tirou o brilho e emoção do jogo (que é jogado, enquanto o lambari é pescado).

enfim, pelo menos, que a libertadores seja brasileira: inter, são paulo, flamengo... ainda no páreo...

pelo menos isto, né?

abração meio murcho, do
roberto.

Jorge Pimenta said...

é isso mesmo: é na poesia que tudo se torna possível e se rasga o caminho para os im-possíveis fora da poesia.
um abraço, roberto!

líria porto said...

a música não chegou - em compensação, li este belíssimo poema em voz alta - uma duas três vezes!
besos

Berenice said...

Poema belíssimo, a música... pá!!

Roberto, o Blog da Berenice está desativado por tempo indeterminado. Agradeço muito suas visitas e todo seu carinho. Meu email continuará disponível para qualquer contato, fique à vontade. Estarei sempre por aqui te visitando e prestigiando este seu incrível espaço.

Um abraço grande!
Berenice

Primeira Pessoa said...

berenice,
nós, os milhars de fãs do seu blog estaremos esperando ansiosos pela sua volta.
só não dmeore muito, pois iniciaremos um levante, um movimento de proporções universais, com um abaixo assinado e passeatas em várias partes do mundo.
eu e o dalai lama faremos greve de fome e, mudaremos uma letra no nosso nome, caso voce não nos atenda em 24 horas. eu me tornarei o roberto lama e ele ficará o dalai lima.

e isso é só co começo, berenice.
se cê demorar muito, o lula promete decretar um tsunami no piauí.

e sei que cê não vai querer ver acontecer algo assim.
então, não se demore...
que fique bem claro... certo?

beijo carinhoso do
roberto.

Primeira Pessoa said...

lírica,
as musicas seguirão. mas, hoje, não posto mais nada.

eu to é colando as fugurinhas do álbum da copa do mundo com as pequenas.

to mais empolgado do que elas...rs

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

jorge,
poesia mesmo é colar os cromos no álbum da copa do mundo...rs
ja colei deco, liedson e cristiano ronaldo.
faltam 3 figurinhas pra cumprir-se portugal...rs

abração, meu poeta favorito no minho.

Juliana Vinagre said...

O poema é uma ponte...
Lindo esse Érre... acho que já tinha lido alguma coisa do mesmo autor por aqui... mais um que conheci na sua mão.
Alimento pra alma em dia pós eliminação na Libertadores... (desculpe tocar na ferida, mas em mim ainda dói...) - e dessa vez ninguém pode dizer que é o meu pé frio porque fiz questão de passar a quilômetros do Morumbi ontem.
Hoje meu filho voltou radiante da escola: acabou de completar o álbum da copa (vi que vc também tá nessa...) .
Colou a última figurinha - fiquei me perguntando aqui se existe alegria maior que essa para um menino de 11 anos...
Bjo
Diubs

Primeira Pessoa said...

diubs,
to com um pacotão de repetidas. o album da copa daí é o mesmo daqui... rs... eu e o alê poedriamos fazer varias trocas...rs
se cê quiser me mandar as repetidas dele, te passo meu endereço... rs

ó, mais ramos rosa?
essa é a fonte:
http://amatrizdossonhos.blogspot.com/

a gisela é sobrinha dele e tem um blog lindo.
passa lá.

beijão,
érre.

ps: libertadores de novo? que foda, né?
ano que vem tem mais. eu to concentrado mesmo é no brasileirão... rs
e na copa... maybe!

Luiza Maciel Nogueira said...

"se eu pudesse eu lascava o azul do céu"

maravilhosa essa música

e o poeta é um ser que escreve pelas mãos do que é divino!

beijosss