Sunday, May 23, 2010

Praca Cronada....

.
.















Ah, Brasil..... só faltou dizer que era framenguista ou atreticano...

ps: presente de José Luís Bré.

29 comments:

Fouad Talal said...

Não podia deixar os alvinegros de fora né Zé?

Antes atreticano que cluzeilenze....rs
Abraço mineiro...

Notas & Notícias said...

Roberto, vc perguntou onde era aqule 'pitoco' de pedra: então amigo, aquela pedra é conhecida como Tromba D'anta, isso por que hà muitos anos existia muitas antas na área ao redor da pedra.

Está localizada na divisa dos municípios de Araponga X Matipó, a 160 km de Juiz de Fora, na região da Zona da Mata mineira. Faz parte do Parque Estadual Serra do Brigadeiro que abrange 11 municípios.

Tem 870mts de altura partindo de sua base. Já consegui alcançar o seu topo; a vista é maravilhosa, nasci proximo dela; era minha primeira visão quando levanva da cama.

Se quiser conhecer mais algumas imagens do local, principal da região acesse

(http://kidureza.blogspot.com) na lateral direita clic no lin " UM TIQUINNO DE MINAS"

ABRAÇO

Assis Freitas said...

derrapou no roubo, assaltaram a gramática. abração

Primeira Pessoa said...

fouad,
cê num é um atreticano qualquer.
isso eu garanto e passo recido.

rs....
sou seu fã...cê sabe...

Primeira Pessoa said...

assis,
cê vai ou num vai????

ti contando contigo...
beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

tromba d'anta?
conhecia não...
morei durante quanse dois anos em juiz de fora.

foram dois dos melhores anos de minha vida.
a zona da mata é pura delícia.
foram dois anos fundamentais em minha vida. cheguei prontinho a nova york.

abração do
roberto.

Tânia regina Contreiras said...

Ah, eu acho o máximo isso aí, adorei a "praca" e insisto no argumento das "variantes linguísticas"...rs O bichinho nem teve tempo de ir numa lã rause antes de ser preso? rs

Abraço, Roberto!

líria porto said...

fiquei blava! tlocar letlas é tão bonitinho! liliana era pequena e falava blasil...

fui andando pelo caminho
encontlei uma coluja
pisei no rabo dela
me xingou de cala suja

tens olhos de passalim... tlistes...

és do cluzeilo - e gosto de ti mesmassim
besos

Primeira Pessoa said...

ah,
lília (Rs)...
síndrome do cebolinha?
cola, não...rs....


gosto d'ocê de qualquer jeito e maneira....rs

beijão,
r.

Andrea de Godoy Neto said...

ptzz, roberto...como boa gaúcha só posso pensar que é culpa do americano...rs

e olha que eu amooo floripa, (penso em ir morar lá), mas confundir nosso sotaque com o dos manezinhos da ilha, hein? quando eles desatam a falar rápido é uma lindeza só, mas pra entender só com tradutor...rs :D

Tânia regina Contreiras said...

hehehe...tô rindo da gaúcha de Floripa.... hehehe

Marcantonio said...

Se fosse Fulôrianópolis seria licença poética!

Abraço de um rubro-negro compreensivo.

Amélie™ said...

Ahuahua... cada uma! Difícil acreditar!
Très bon!
BjO*

Márcia Cristina Lio Magalhães said...

Vai ver que o ladrão gostava de "fror" ué...

Saudações Atleticanas, sempre!

ehehehehehehehehe :-)

Márcia

Primeira Pessoa said...

pois é, amélie...
mas esse aí passou recibo... a prova do crime taí.....rs

ou, do creme...
sei lá eu...rs

beijão,
r.

Primeira Pessoa said...

marcia,
cê quis dizer "saudações atreticanas", né?

pelamôr de santucristim.... rs

beijão procê.
r.

Primeira Pessoa said...

tania
tenho um amigo que me fez rir demais...
americano de quatro costados... foi ao brasil, saiu com uma moça gaúcha... de frorianópolis...rs

assim como políticos honestos, faltam professores de geogafia nos puteiros do brasil...rs

tava com saudades d'ocê por aqui.


beijão, tânia.

r.

Primeira Pessoa said...

se fosse fulorianópolis,
seria um poema, marcantônio... rs

Anonymous said...

Prezado Sr. Roberto,
Mineira de Patos de Minas (confesso que nunca gostei do nome de minha cidade natal), morando em Goiânia, desde sempre, vi hoje pela primeira vez o seu Primeira Pessoa, através do blog do Kledir. É que achei sua "fotinha" meio misteriosa e cliquei nela e...surpresa, vc tb é mineiro. Escrevo apenas prá dizer-lhe que adorei sua mini biografia na tela principal: "cozinho para não enlouquecer...escrevo crônicas para merecer meu pão...sou raso em tudo que faço. Profundo em tudo o que sinto.Acredito na força do amor e da amizade.Choro em filmes que me emocionam e em livros que me tocam..." afinal vc é cronista ou poeta, ou ambos? Porque se isso não for poesia...gostei demais e disse: só podia mesmo ser mineiro!!!
Quero muito conhecer as suas crônicas.

Por hora registro aqui o prazer que tive em conhecer o seu blog e como gostei do que li sobre vc.
Em tempo: a "estória" da placa foi mesmo muito divertida!
maria celeste borges cunha
Goiânia - Goiás.

Primeira Pessoa said...

andrea,
esse lance de sotoque é um trem importante demais. dondovim é, pra mim, tão importante quanto oncotô ou prondovô...

regra geral voces, gaúchos, conservam o seu sotaque, mesmo depois de viverem muito tempo noutro lugar.
tava falando disto com a liria porto no outro dia... de pessoas que saem de casa, e perdem seu sotaque... incorporando outro...

são seres que desbotam.,..rs

beijo grande do
r.

Primeira Pessoa said...

taninha,
gaúcha de "froripa" num puteiro do sudeste...rs
se bobear, era doutro estado qulquer...
e so faltava, agora, nem ser mulher...rs
ali, pro gringo, era tudo brasileira...rs
poxa... até o ronaldo (o fenômeno) já se confundiu... lembra do episódio no rio? (ele confundiu - du-vi-de-o-dó...rs - e levou 3 travestis pro motel)

beijos,
r.

Primeira Pessoa said...

maria celeste,
fico grato pela sua visita.
minhas cronicas estão aqui mesmo, no primeira Pessoa.
Este espaço foi criado, inicialmente, para estas cronicas que escrevo. com o passar do tempo, o blog virou outra coisa e passei a publicar coisas que vou recolhendo (canções e poemas de terceiros).

portanto, aqui no Primeira Pessoa, só as cronicas e os amigos são meus.

seja bem vinda.
abração do
roberto.

Zélia Guardiano said...

Adorei, Roberto!
Show!
Gosto demais dessas coisas...rs... Já cheguei a colecionar ditos de filosofia do irmão da estrada.
Um que aprecio muito: "Não jurgarei para não serei jurgado"
No pára-choque havia até aspas...
Um grande abraço, amigo

Primeira Pessoa said...

zélia,
essas frases de pára-choque a que você se referiu são maravilhosas. elas são uma espécie de supra-sumo da sabedoria desses que ganham a vida cruzando o país.
entre tantas outras coisas são autênticos, humildes, apaixonados (rs), religiosos mas, acima de tudo são muito corajosos.
dirigir nas estradas do brasil é andar sempre na corda-bamba.

beijo grande procê.
r.

Maria Vieira said...

como diz o filósofo: vai fazer merda, faz direito!

Tânia regina Contreiras said...

...ah. me lembrei de uma história que é verdade verdadeira...rs...passada entre minha irmã e uma nova secretária do lar, que se queixava do marido da irmã que deu, depois de tantas outras, pra beber todo dia.

Minha irmã: Mas coitada de sua irmã, viu, isso é Karma...

A empregada: Ah, dona Rita, carma por fora, porque por dentro ela fica é nervosa!

Até hoje rio quando lembro desse diálogo...rs

Beijo

Bré said...

Existem também aqueles que ouvem uma palavra nova e sem saber o siguinificado da mesma, sai usando como bem entende: "Esse cachorro vive preso, amarrado nesse abacateiro, porque ele não é suficiente para viver junto a outras criações".

Primeira Pessoa said...

zé bré...
a imagem do cachorro atado ao abacateiro é forte... conheço-a... de ver...
ó, lindão o seu poema. tem pinta de letra de canção. achei bonito mesmo.
de tão bonito, chega a doer.

beijo procê, bré!

Fernando Campanella said...

A língua portuguesa vingou-se do descaso, da ignorância, rs... Malandro também precisa se ajeitar com as 'regras' para se safar, rs....
Grande abraço, ótima postagem, quem vai gostar também é uma vizinha minha que diz que se chama 'Dona Creuza', rs.... Abração, Roberto.