Monday, May 17, 2010

.











TRADUZIR-SE
(Poema de Ferreira Gullar)

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?


*


A Música Que Toca Sem Parar:
Raimundo Fagner e Chico Buarque, esta mesma Traduzir-se, musicada com competência por Raimundo Fagner.

30 comments:

Fouad Talal said...

Parece muito com aquela música do Oswaldo Montenegro.
Gosto muito de "O açúcar"...
O cara é phoda!

Um abraço!

Primeira Pessoa said...

quem é foda, fouad?
o oswaldo? rs
conta a lenda que esse é um chato.

o ferreira gullar, claro... to começando a entender...
fodástico, esse ribamar (qual maranhense não é ribamar?)

abração de quem empata até com o avaí 2 x 0,

o
roberto.

Lídia Borges said...

Gosto deste poema, embora conheça pouco sobre o seu autor. Penso que é Adriana Calcanhoto quem o interpreta, numa música lindíssima.

L.B.

Tânia regina Contreiras said...

Ah, o traduzir-se é o meu perfil no Roxo-violeta e o Ferreira Gullart quase um amante...rsr

Abraços,
Tania

Andrea de Godoy Neto said...

Robertoooo! coisa linda chegar aqui e ler esse poema que eu amo de paixão :D

dispensa comentários

beijinho pra ti

Jorge Pimenta said...

fodástico? adorei o neologismo :)
a propósito, poeta, cronista, escritor e amigo, o texto que escolheste recorda-me a dualidade latente em alguns dos textos de pessoa. trago aqui um dos mais conhecidos, mas nem por isso menos belos:

Tudo o que faço ou medito
Fica sempre na metade.
Querendo, quero o infinito.
Fazendo, nada é verdade.

Que nojo de mim fica
Ao olhar para o que faço!
Minha alma é lúcida e rica
E eu sou um mar de sargaço –

Um mar onde bóiam lentos
Fragmentos de um mar de além...
Vontades ou pensamentos?
Não o sei e sei-o bem.
(fernando pessoa)

phodástico, hein?

um abraço!

p.s. não me canso de escutar os teus astrolábios.

Primeira Pessoa said...

vi um video muito legal do ferreira gulla rno youtube, no outro dia.
ele falava que discutia com sua namorada e vencia a discussão. mas ela pegava a bolsa e ia pra casa dela.

ele ficava com razão, mais infeliz pra caraleo.

entao ele decidiu que, a partir daquele dia, ter razão nao era mais importante.

o que ele queria mesmo era ser feliz.

grande zé de ribamar, né?

beijão procê, tânia.

Primeira Pessoa said...

andrea,
coisa linda é chegar aqui e encontrar meus amigos felizes com alguma leitura, alguma canção...

isso sim, é lindo,

Marcantonio said...

Bem, aqui já enveredo por um convívio quase diário: sou admirador do Ferreira Gullar, não só do poeta como do crítico-pensador de arte também.
Como não tenho mania de limpeza, estou sempre indo e vindo pelo POEMA SUJO. É um poeta de muitas facetas. Quer coisa mais bonita do que o desfecho desse poema numa pergunta cautelosa que parece não ter resposta exata na cultura?

Esse Ribamar realmente é foda, ao contrário de um outro, provinciano que [...]na política e nas nossas letras. Rs.

Abração

Primeira Pessoa said...

o fodástico não é meu, jorgíssimo.
peguei emprestado. e sem autorização de quem de direito.
uso e nem pago royalties. e, pior: ainda autorizo, mesmo desautorizado, ao amigos a espalharem esse e quanto mais neologismos inventarmos, fabricarmos, forjarmos...

gostou do rubi?
e o poema é bonito, né? ficou um lance bem lancinante... machucante... como carvão nos lábios.

abração, bracarense na poesia.

desse mineiro da boca-suja.

rl.

ps: putz... tão belo o poema de pessoa.

Primeira Pessoa said...

não, lídia... não penso que adriana calcanhoto tenha gravado traduzir-se, esse poema tão lindo de ferreira gullar
.
tenho, entre minhas coisas, uma gravação da música com nara leão. e outra com oswaldo montenegro.

mas vou me informar melhor.

beijão pra voce.

do
r.

Primeira Pessoa said...

ah, marcantônio... zeca baleiro também é ribamar... rs

não é esse?
ah, tá... o tal dos marimbondos de fogo, né? pra mim, esse aí não é jogo da loteria esportiva...
sim, eu sei, está por aí, impregnado no ar brasileiro que respiramos, desde as capitanias hereditárias.

não simpatzo com ele, não.

ó, se voce quiser, te mando depois um mp3 de ferreira gullar recitando, da lavra dele, o impagável Primeiros Anos.

e promessa é dúvida (rs).

e dívida.

abração do
r.

Tânia regina Contreiras said...

Ah, eu também quero o Primeiros Anos, manda, manda????

Mas gostei da história do ter razão mas perder a felicidade. Mas, cá muito entre nós, mulher faz essa besteira também de pegar a bolsa e ir embora porque perdeu na discussão. Melhor é ficar e ir pra revanche de outros modos. Bem, mas ele ganhou mesmo foi na sabedoria que veio depois...

Abraço,
Tânia

P.S. Esse Chico tem uns olhos azuis que brilham quando ele canta, gostem ou não gostem da voz dele...eu amo ele cantando. Quem melhor canta Chico é o próprio Chico, tem pra ninguém!!!

Primeira Pessoa said...

mando sim, tania...
é so me passar o email... que mando na horinha.
compartilhar cantigas e palavras é uma grande alegria pra mim.

agora, esse papo dos zóios do chico...rs
qualé que é, tania???... sou do interior... se eu começar a elogiar os zóios do chico... ah, minha nêga... minha reputaçao que ja não é lá essas brastemps vai sofrer um abalo císmico...

falando sério, acho charmoso o jeito de cantar que ele tem.
e compunha (assim mesmo, no passado) muito bem (muito mais que ótimo letrista, melodista inspirado). a literatura e o futebol (aliada à preguiça de tudo e de todos) roubaram-no da canção... chico parece enfadado em seus discos mais recentes (nem tão recentes assim).

mas fez muito, esse francisco.
fez além da conta.

sou fã.

r.

Tânia regina Contreiras said...

trcontreiras@gmail.com, Roberto, manda por esse.
Pois é,menino, Chico já fez foi tanto que pode passar uma outra encarnação todinha sem mais a fazer...rsrs...Verdade que já começou a descansar ainda nessa, mas tudo bem, acho que cansou.

Abraço, vou aguardar O FG...

Cris said...

José Ribamar....!
"E que a minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor,
e a outra metade...
também"

É...vc tem bom gosto!

De volta do sítio e lendo meus amigos de blog!
Tudo na paz com vc?

beijo

putas resolutas said...

além da poesia de ferreira gullar, gosto dele como pessoa - todas as suas entrevistas são repletas de sabedoria e humor!
besos

Danilo de Abreu Lima said...

lindo o poema do gullar- e a música idem. e parabens pelo blog, sempre com pérolas como essa-
grande abraço do
danilo.
vida longa aos poemas...e aos poetas...

Primeira Pessoa said...

danilo, sou-lhe grato pela visita e pelas palavras carinhosas.
vida longa ao poema, à poesia.

e a nós, apreciadores.

volte sempre que der vontade.

meu poema. seu poema.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

lírica,
ferreira gullar é genuíno. é intelectual sem ser chato.

sei que fagner gosta muito dele. tiveram algumas parcerias bonitas.
a proxima canção aqui do blog será Me Leve, uma canção de des-amor. palavras de gullar, emolduradas pela melodia de fagner.

saudade d'ocê, líria.
cê some, sô!

Primeira Pessoa said...

obrigado pelo carinho, cris.
seja bem vinda neste retorno ao blog.
que esteja descansada de corpo e com a alma faminta de novas palavras.
novas canções.
pensamentos bons.

abraço grande do
roberto.

Primeira Pessoa said...

tania,
chico passa a maior parte do tempo em paris...rs... bate suas peladas, bebe bons vinhos, come mais ou menos...
de vez em quando, escreve alguma coisa...
ele merece a sombra e o vinho fresco que plantou...

mandei-lhe o Primeiros Anos...
pode ir colher.
abração,
r.

Tânia regina Contreiras said...

Recebido O Primeiros Anos... Ouvi e ganhei o dia já pela manhã! Brigaduuu, Roberto.

Tânia

Primeira Pessoa said...

que bom, tânia.
e , assim, vamos ganhando nossos dias.

bela terça pra você.
abração do
roberto.

Marcantonio said...

Roberto, claro que gostaria de receber o Primeiros Anos, sem dívida, aliás, sem dúvida. Mande pra cá: marcantoniosc@hotmail.com , e já lhe agradeço.
"Intelectual sem ser chato" é uma boa definição para o Gullar.

Abração.

Primeira Pessoa said...

marcantônio, ferreira gullar já seguiu(quem salvou, mandou-lhe um "aguiar"...rs... ficou por isto mesmo).

espero que curta.

abração do
roberto.

líria porto said...

preciso urgente duma benzedeira - continuo meio perrengue - velhice é ph... risos
besos

Primeira Pessoa said...

líria,
tambem não fui trabalhar.
to dentro de um casulo. e tossindo.
fosse noutra época, ja tinha abraçado castro alves.

mas vamos levando.

sei que abusei demais desse corpinho.

beijão procê.

Um pouco sobre mim said...

Nossa adoreeei, muiiito bonito e perfeito essse poemaaa..
li e reli ele muitas vezes, to adorando está vendo seu blog e logo de cara me deparar com CHico buarque!
Parabens!
Uma bela escolha.

Primeira Pessoa said...

seja bem vinda ao blog.
espero que se divirta aqui.

tem uma turma muito legal frequentando o blog.
seja bem vinda!

abra;cão do
roberto.