Tuesday, February 23, 2010

.














Da Criatividade Brasileira


César Cortez me entregou uma lista de conterrâneos nossos, pessoas que não ele não conhece pessoalmente, mas garante estarem registrados em cartórios de todo o Brasil.
No cabeçalho da página, um texto explicando que o ‘objetivo da lista não é de ridicularizar ninguém, mas sim de trazer uma pequena amostra da criatividade do povo brasileiro. Os nomes foram coletados a partir de listas públicas, como uma relação de segurados com nomes estranhos divulgada pelo extinto INPS na década de 80, e pesquisas em cartórios realizadas por autores de livros especializados’.
O trabalho de pesquisa me chegou às mãos assim mesmo, do jeito que reproduzo aqui. E alguns dos nomes dessa lista, surrupiei para dividir com vocês:
Abrilina Décima Nona Caçapavana Piratininga de Almeida
Adegesto Pataca
Aeronauta Barata
Agrícola Beterraba Areia Leão
Alma de Vera
Amado Amoroso
Amável Pinto
Antonio Manso Pacífico de Oliveira Sossegado
Antonio Treze de Junho de Mil Novecentos e Dezessete
Asteróide Silvério
Ava Gina (em homenagem a Ava Gardner e Gina Lolobrigida)
Colapso Cardíaco da Silva
Comigo é Nove na Garrucha Trouxada
Confessoura Dornelles
Crisoprasso Compasso
Deus É Infinitamente Misericordioso
Disney Chaplin Milhomem de Souza
Éter Sulfúrico Amazonino Rios
Flávio Cavalcante Rei da Televisão
Gerunda Gerundina Pif Paf
Graciosa Rodela D’alho
Janeiro Fevereiro de Março Abril
João Bispo de Roma
Joaquim Pinto Molhadinho
Lança Perfume Rodometálico de Andrade
Liberdade Igualdade Fraternidade Nova York Rocha
Magnésia Bisurada do Patrocínio
Natal Carnaval
Necrotério Pereira da Silva
Orquerio Cassapietra
Otávio Bundasseca
Pacífico Armando Guerra
Placenta Maricórnia da Letra Pi
Primavera Verão Outono Inverno
Produto do Amor Conjugal de Marichá e Maribel
Um Dois três de Oliveira Quatro
E o mais esdrúxulo de todos, Tospericagerja da Silva, uma homenagem à seleção do tri: Tostão, Pelé, Rivelino, Carlos Alberto, Gerson e Jairzinho....
A relação de prenomes é divertidíssima. Digna de tese, o que deve rolar por aí.
Nesta tese deve ter, certamente, Audifax, Chikakó, Deverilírio, Fordência, Gravitolina, Matozóide, Obedemigo, Ocriócrides, Omenzinha, Presolpina, Rocambole, Sudene, LetsGo e alguns casos, já devidamente explicados.
E combinações exóticas, que acabam resultando em Janycleiton Betelmonson, Kêmula Katrine, Reimar Rainier e tantos outros.
Tem o caso de Oliúde, que foi jogador de futebol profissional e atuou no Vasco e na Portuguesa com o apelido de Capitão. E tem também Usnavy, que é uma homenagem à US Navy, a gloriosa marinha americana.
Poucos dos prenomes, no entanto, devem ter constrangido tanto o seu dono como Bucetildes dos Santos, uma senhora super-tímida de Goiás, que se apresentava a todos como “Dona Tilde”.
E com razão.

12 comments:

poeta do inverno. said...

muitos nomes um pouco fora do comum

Primeira Pessoa said...

acredite, poeta:
eles e elas existem.

grato pela visita.

gentil carioca said...

Faltou o indefectível Dr. Um Dois Três de Oliveira Quatro. Médico mineiro de Juiz de Fora.
Um ícone.
E eu a reclamar do Sonia Maria...

nouvelles couleurs - vienna atelier said...

Quero fazer minhas felicitações e os melhores exito

saludos

Magnolia said...

Uma delicia ... :)
Bj

Primeira Pessoa said...

sonia,
o um dois tres de oliveira quatro ta lá, sim. mas nao o sabia juiz forano. e nem médico.

e eu, com meu nome de cantor de churrascaria:
_ e agora, respeitável público o inigualáááável... o impecáááávelll... o inoxidáááável.... rs
carrrrrrrrrlos Robeeeeeeeeeeertooooo....


putz... fiquei rindo sozinho.

Francisco Sobreira said...

Eu tive um colega chamado Oceano Atlântico. Você fala no jogador de futebol Oliúde. Não sei se você sabe que o nome daquele outro jogador, Odivâ, foi dado por causa de uma música de Roberto Carlos intitulada O Divã. Que nomes, meu Deus, são colocados em pessoas, que carregam a vida inteira um fardo pesadíssimo. Um abraço.

Primeira Pessoa said...

Magnólia, os brasileiros são cheios de manias, né? lá em casa, todos os 3 filhos de meu pai são Carlos.
louco, né?

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

Francisco,
o caso de Odivan é clássico (embora ele tenha sido um becão tudo, menos clássico).
Ainda outro dia um amigo me falou de um sujeito que ele conheceu (ou ouvir falar... não sei direito). O indivíduo em questão chama-se Valdisnei, uma singela homenagem do pai dele a Walt Disney, o criador do Pateta.

Nós, brasileiros...rs

líria porto said...

então és meu segundo amigo chamado carlos roberto! o outro é escritor dos bons, como tu!

lê esse poema antigo:

ímpar
líria porto

ideal é sermos três
o muso o amante e eu

um para sofrer chorar e gerar versos
outro para me dar muitíssimo prazer

(como diz o amigo carlos roberto
a felicidade é burra )

*

líria porto said...

ah - mico é chamar maiboi - e conheci um!
besos

Primeira Pessoa said...

lírica,
carlos, que já foi mais "gauche" na vida.
mas feliz por ser seu amigo.

maiboi, pra mim, era o discotecário do chacrinha (lembra? ... rrrrrroooooda maiii boyyyyyyyyyyy)...

esse é "dilurido"....

abs,
r.