Tuesday, March 9, 2010

.

















Não: não digas nada
Supor o que dirá
A tua boca velada
É ouvi-lo já
É ouvi-lo melhor
Do que o dirias
O que és não vem à flor
Das frases e dos dias
És melhor do que tu
Não digas nada, sê
Graça no corpo nu
Que invisível se vê
Não: não digas nada
Não: não digas nada


A Música Que Toca Sem Parar: Não, Não Digas Nada
Composição de João Ricardo, sobre poema de Fernando Pessoa
na gravação do grupo Secos & Molhados



14 comments:

Jorge Pimenta said...

"Não, não digas nada"
recolho-me ao silêncio, expressão maior da magnificência (seja ela em que área for)

Assis Freitas said...

Pena que o sucesso do Secos e Molhados ficou restrito a algumas poucas canções que tocaram até a exaustão. Outras obras primas ficaram por ser descobertas anos depois quando o grupo já havia findado.

P.s. estou enganado ou vc está republicando cronicas?

Primeira Pessoa said...

fernando pessoa... ah, fernando pessoa..
depois vou lhe enviar um disco gravado por artistas brasileiros (eugenia melo e castro é a única portuguesa do projeto) com poemas musicados de fernando pessoa...
um primor.
jorge, mande-me seu email para cronicasderobertolima@gmail.com

que faço chegar às suas mãos (e aos seus ouvidos) as canções.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

assis,
não consigo localizar meu arquivo com mais de 20 anos de crônicas. uma meleca. terei que tirar um tempo e vasculhar o arquivo impresso do jornal.
portanto, tenho repostado aqui algumas crônicas mais recentes.
e, como não tenho parido nada decente... fico contando a mesma anedota... perdão, meu amigo.

é questão de eu me organizar um cadico. vou resolver isto, mas, mais importante, preciso voltar a produzir material novo. ando um saara.

ah, sim... os secos & molhados marcaram época. lembro-me que comprei esse lp em são paulo, numa viagem com minha mãe. eu devia ter uns 14 anos de idade.

nunca mais sairam de mim, as canções.

abração do
roberto.

Renata said...

ouvi-lo melhor do que o dirias é senti-lo.

Beijos

Primeira Pessoa said...

renata,
não tenho a menor dúvida.
o sentir... sempre o sentir...

no outro dia você postou uns comentários e não sei o que fiz com eles. noutros tempos, poderiam até dizer que eu os teria fumado...

não é o caso.

sua presença me alegra.
viva pessoa.
viva nós, pessoas.

abração do
roberto.

Júlio Castellain said...

...
Digo sim. Muito bom.
Abraço.
...

Wilson Torres Nanini said...

A poesia de volta ao canto. Como Assis Freitas disse acima, eu não conhecia nada dos Secos... além da sua vertente mais saturada. Mais um gol do seu blog, em nome da boa arte. Abraços!

Primeira Pessoa said...

digamos, sim,
sempre.
abração, júlio!

Primeira Pessoa said...

wilson,
o Secos marcou época. E faziam um lance muito legal, com proposta estética na poesia e na canção.
Gosto muito deles. Continuo gostando.

abração do
roberto.

líria porto said...

betinho
fernando pessoa é fan-tás-ti-co! sabe que sabe e até supõe... calo-me!
besos

Primeira Pessoa said...

lírica, não... não cale nada.
fale-se!

beijão!

LauraAlberto said...

Ah, o Pessoa na voz, penso eu de Ney.
Estou certa???
Mas desde já aqui fica um obrigada luso!
Abraço
Laura

Primeira Pessoa said...

laura,
o ney era vocalista dos secos & molhados, que era, na verdade, um trio (gerson conrad e o português joão ricardo).
se você quiser posso te enviar o mp3 dessa canção (e de quantas mais você escutar neste blog).

beijão do
roberto.