Wednesday, March 10, 2010

.

Uma canção Para o Seu Despertar

(Para um amigo em coma)


Quando você acordar deste sono e isto não tardará, meu amigo querido, gostaria que encontrasse um novo mundo. Um lugar sem as turbulências de quando adormeceu. E que a queda das bolsas tenha sido um mero pesadelo e a ganância dos homens de gravata, opaca mancha se apagando num passado cada vez mais distante.
Queria que árabes e judeus se entendessem de uma vez por todas, antes de você colocar os pés no chão e caminhar em direção ao banheiro pela primeira vez.
Queria que a palavra guerra tivesse sido abolida. E que o verbo desentender se transformado e conjugado, agora, apenas como 'entender', e se tornado comum a todos os dicionários, todas as línguas, credos e cores.
Que a intolerância tivesse sido proibida por decreto.
E a violência urbana, banida do mapa.
Que ninguém mais precisasse roubar por um pedaço de pão ou uma pedra de crack.
Que as traições de qualquer espécie se tenham extinguido.
Que a lâmina das facas e o aço das armas de fogo de todos os calibres tenham sido derretidos e transformados em brinquedos, espalhados pelos parques das cidades do mundo inteiro, para que neles crianças possam brincar.
Queria preparar um mundo melhor, mais abrangente, mais justo, mais leal, para quando você se levantar da cama e sentir necessidade de tomar um café.
Um mundo sem fome, sem frio e injusta distribuição de riquezas.
Mas sei que não posso te oferecer nada disto. A vida avança no relógio das horas e sei que a qualquer momento escutaremos a sua voz a nos saudar.
Gostamos de quando você nos diz "bom dia". Eu, especialmente, me emociono quando desejas que o Deus que te acompanha me saúde na mesma alegria.
Melhora o meu dia. A minha semana. O meu mês.
Das coisas que posso prometer e cumprir, lhe asseguro, tão logo os seus olhos enxerguem as primeiras luzes da manhã:
Um abraço do seu pai.
O colo quente de sua mãe.
O beijo de sua irmã. De seu irmão.
O amor de sua vida estará esperando por você - ela que não saiu do seu lado um segundo sequer -, para que percorram juntos e de mãos dadas, o percurso que lhes foi traçado por Deus.
Vocês terão filhos, bens materiais, animais de estimação e álbuns de fotografias de momentos que o tempo já levou. E terão o presente e o futuro para desenhar novas páginas. Pintá-las com novos matizes, novos tons. Páginas de felicidade.
Terão uma janela pro mar e uma brisa que sopre do Atlântico ou do Mediterrâneo.
Terão almoços de domingo em família, e tardes de futebol.
Prometo-te um grito de gol, do seu Flamengo. Prometo muitas conquistas do seu Flamengo.
Prometo que a cor vermelha, da sua predileção, não será arrancada do arco-íris.
Prometo-te uma canção de Geraldinho Azevedo. Um poema de Pessoa e a pessoa bonita que é você, refletido no espelho em que for se barbear pela primeira vez, depois de acordar deste sono.
Prometo que terá trabalho. Que terá desafios e projetos para a sua vida.
Prometo que terá vida.
Uma vida longa e feliz.

*

A Música Que Toca Sem parar:
Antony and The Johnsons, Cripple and The Starfish

33 comments:

Jorge Pimenta said...

Quase poderíamos invocar Martin Luther King e dizer, unindo vozes e corações, "I had a dream"! Continuemos a sonhar, pois.

Um abraço, Amigo!

P.S. Tenho-me deliciado com algumas das músicas que me fizeste chegar. Um imenso obrigado, Roberto!

Sofia Aguarela said...

Roberto, és genial. Crónica absolutamente sem palavras possíveis. Muito linda...
Ah, e bela música. Adoro Anthony, é tão nostálgico, tão cru, tão nu.

Abração,
Sofia.

Primeira Pessoa said...

jorge,
fico feliz que tenha gostado das canções...
e o ferd martins? se parece contigo ou é ilusão de ótica? (rs)
vou te mandando mais umas cousas... e lousas... vou postar o disco de pessoa... chama-se a música em pessoa...

é de coração e é pra ti.

abração, amigo.

R.

Primeira Pessoa said...

sofia,
musica outonal, né? tem um lance muito dark na música desse cidadão... e esse violino fica tocando, desengonçado, dentro da gente, como se fosse uma dor...

deu até vontade de escrever uma croniqueta falando dessa ferida aberta que a canção (as canções... certas canções) abre no peito da gente...

fica esse punhado de sal ardendo sobre nossas feridas...

sua visita, sempre um bálsamo.

abração do
roberto.

Lara Amaral said...

Lindo, lindo de viver.

Se prometer essa crônica a ele, já será o bastante para alegrar o dia de despertar do seu amigo.

Beijos!

Primeira Pessoa said...

trata-se de um amigo "imaginário", larinha.
como aquela estrela no céu em que a gente, meio maluquinho, dá de conversar com ela.

eu sou desses que conversam com zelação.

fico feliz te te ver por aqui, larinha.
beijão do
roberto.

ps: to esperando meu relogio do mickey...rs

Mai said...

Neste texto passeei por um repertório intimista que emocionou. Dia branco do Geraldo Azevedo, hino à amizade, Imagine and so, Anthony's song. Admiro homens corajosos que não temem a emoção.
Um grande abraço

Primeira Pessoa said...

mai,
acordei no meio da noite, o sono fugiu pela janela e desisti de ficar procurando os carneiros que evaporaram...
corri pra cá...
pois bem, a emoção... o homem...

ó, como diria gonzaguinha: "o homem também chora"...rs

uns choram mais. outros choram menos.
eu?
ah, eu choro.

se o motivo for bom, sim, eu choro.
abração do
roberto.

TEREZA FREIRE said...

Roberto,
Isso é de uma sensibilidade extrema! É o que uma bela imaginação pode nos permitir. Um sonho cantado por tantos, que nunca se concretizou, fica parecendo possível quando se é prometido à quem dorme, mas não existe.
Abraços.

Primeira Pessoa said...

ah, tereza...
como diria torquato: existirmos... a que será que se destina?

o homem que já inventou tanta coisa, conseguirá, em algum tempo, inventar a felicidade?

prometo a você que tentarei, ao modo meu, melhorar um cadiquim que seja, o mundo em que vivemos. mais importante: prometo andar em paz.

quem foi mesmo que disse que a paz do indivíduo é a paz do mundo?

beijão procê,
R.

Essência e Palavras said...

Oi,

Me chamou muita atençao o nome do seu blog, te encontrei no do Julio.

Vim "curiar" rs

Adorei o vi aqui, o que li.

E... por que não "terceira pessoa?"

*risos

Um beejo mineiro do lado de cá!

líria porto said...

pudéssemos, teríamos o céu na terra, né?
besos

Assis Freitas said...

quantas vezes já não dormi esperando esse amanhecer, enfim... esses caras da música que toca sem parar são muito bons, o vocalista tem um timbre singularissimo. abraço.

LauraAlberto said...

Ah Roberto,
um texto lindissimo com uma música espetacular.
Também eu desde miuda que quero mudar o mundo, apesar da dificuldade, ainda não desisti!
Um resto de semana com muita cor.
Beijinho
Laura

Primeira Pessoa said...

o julio... ah o julio...
além de ter um blog porretíssimo ainda traz amigos aqui pra esse cantinho...

que a essência da palavra continue contruindo pontes...

seja bem vinda!

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

pudéssemos, até o seu atlético seria campeão (rs)...

ah, lírica, brincadeiras à parte...

pudéssemos... quem dera, pudéssemos...

abraçar você eu posso, né?

beijão do
R.

Primeira Pessoa said...

assis,
confira esse cara ao vivo, taí o link...

http://www.youtube.com/watch?v=TbCIQ-SKhKE

ele faz o que chamam (os que adoram rotular pessoas e coisas) de música de câmara pop...

ou algo que o valha.

abraço imenso, meu rei.

do roberto.

Primeira Pessoa said...

laura,
nunca deixe de querer mudar o mundo, fazendo a sua parte, sempre...

e nem deixe de ser miúda...
tudo o que a gente é vem do miúdo, da miúda, que um dia "somos".

beijão do
roberto.

Paulo Jorge Dumaresq said...

Crônica poética grávida de sensibilidade e humanidade, Roberto. É a sua mais completa tradução. Lenbrou o poema "Canção amiga", do seu conterrâneo Drummond, o Carlos, lindamente musicado por MiNas. Você faz toda a diferença tornando o mundo melhor. Fortíssimo abraço.

Primeira Pessoa said...

Paulo Poeta,
suas palavras me honram demais. Você, esse cavalheiro, antenado e gentil, presença mais que bem vinda neste cantinho.

abraço imenso, poeta.
do tamanho da minha admiração por você.

R.

líria porto said...

grrrrrrrrrrrrrrrrrr... eu me vingo!!

abraçares-me? se não for com a camisa de estrelinha pode...

besos

Primeira Pessoa said...

líria,
cê num recusaria um abraço de verdade. mesmo que fosse com a camisa do siderúrgica (rs)...
lembra do lucinho bizadão, aquele maluco da nossa festança no dona clara?
o do cavaquinho e das músicas bubicentas?
pois é... ele acaba de me ligar de miami (nas horas vagas é muambeiro) e me perguntou se eu ainda me lembrava do "zé pãozinho"...rs

putz... o zé pãozinho...rs

cê lembra dele?

beijão,
R.

Lara Amaral said...

Ah, ainda bem que é um eu-lírico com um amigo imaginário. Já estou acostumada com esses, escrevo poema, né? rs...

E sobre seu relógio, já passei para frente, fiquei com medo de vc ficar com raiva de mim, e como te prezo muito, quero vc bonzinho comigo, hehe.

Beijo.

Primeira Pessoa said...

uai, larinha... quem dá e volta a tomá... fica com cara de gambá...rs
é assim que dizemos em minas... quer dizer: comprou o relógio pra mim e deu pro outro?
comprou mesmo o relógio do mickey? ou foi do pinóquio? rs

ficou devendo...rs
mas continuo gostando muito de você...

beijão procê, do seu amigo
R..

líria porto said...

como me esquecer do lucinho? tenho 3 discos dele!
besos

líria porto said...

como me esquecer do zé pãozinho??
fui à casa dele?

besos

líria porto said...

como me esquecer de mim, se durmo comigo??
besos

líria porto said...

como me esquecer do betão?
fui com a cara dele!!!

kakakkaaaaaaa

besos

Primeira Pessoa said...

líria:
... lucinho, que ligou do jeito dele, falando que tinha um furo pra me dar.... (de reportagem, esclareceu depois...rs)
... zé pãozim? tadim do euler... aliás, vou contar que cê tá chamando ele de zé pãozim...
... muá? (rs)... cê foi com meus cornos? eu não tinha prestado atenção nisto...rs... cê disfarça bem...

e cê dorme consigo mesma? uais, isso me fez lembrar daquele amigo que era tão bipolar, que toda vez que a namorada e ele faziam sexo, ela tinha um menage a trois...rs (a truá...rs)

ah líria porto...

besos...

Lara Amaral said...

Não comprei, não. Comprei foi para mim e para duas primas, rs.

Mas dá próxima vez, se eu não gastar mais do que devia, hehe, compro um para ti.

Vc é um querido e um comédia =).

Beijos.

Primeira Pessoa said...

larinha,
tenho uma imagem clara desse relojim...
no fiilme the wall, do brilhante allan parker(baseado no legendário disco the wall, do pink floyd)...
tinha uma cena em que bob geldorf contemplava o suicídio sentado numa cadeira... o relogio tiquetaqueando no pulso dele...

quando cê falou que me compraria o bendito relógio (eu ia te dar a dica: nos camelódromos custa 5 dólares), pensei em contemplar o suicídio... como o personagem de bob... rs

beijão sem comédia do

r.

Odele Souza said...

Olá,

Muito obrigada por sua visita e comentário no blog de minha filha Flavia, em coma vigil há mais de 12 anos.E este texto para seu amigo imaginário é lindo e comovente. A maioria das coisas que você deseja ao seu amigo imaginário eu também desejaria para Flavia. Vou ler seu texto para ela ouvir (ela tem a audição preservada)

Pra você, um forte e carinhoso abraço.

Primeira Pessoa said...

Odele,
comoveu-me a sua luta, seu amor incondicional por sua filha.
ficarei muito honrado se ler a crônica para ela, sim. e, acredite-me, adoraria poder dar a ela um mundo melhor quando ela acordar de seu sono.

eu acredito, Odele.
eu acredito.

abraço grande do
Roberto.