Tuesday, March 16, 2010

A Música Que Toca Sem Parar

.












JOSÉ

(Carlos Drummond de Andrade, por ele mesmo)

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama protesta,
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,

seu terno de vidro, sua incoerência,
seu ódio - e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse…
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, pra onde?


O pernambucano Paulo Diniz, no momento mais inspirado de sua carreira, musicou José, uma das obras-primas da poesia brasileira. E ficou bom. Muito bom!

17 comments:

LauraAlberto said...

Bom dia Roberto,
fiquei agarrada neste poema, então ouvi-lo...
Imagino que já deve estar a pensar em envia-lo para o meu mail, força!
Obrigada!
Beijinho e Muita Utopia
Laura

Primeira Pessoa said...

Laura,
eu ainda não estava pensando em mandar José para o seu email... rs
Mas como sempre atendo os "pedidos e ameaças" de todos os meus amigos aqui do blog, mando-lhe o Drummond, sim.
Aguarde que lhe chega o Drummond... mando com prazer e alegria.
Abraço grande do
Roberto.

Wilson Torres Nanini said...

Um dos melhores poemas já escritos! A voz de Drummond dá uma nuança rítmica especial, permitindo captar todos os seus sigilos. É um poema cínico, trajado de bom-mocismo. Como me orgulho de ser mineiro!

Assis Freitas said...

Eu também me chamo José, José de Assis, e sofro o desconcerto desse poema como todo Zé do Brasil. Deve ser o mais conhecido poema de Drummond e fui musicado pelo Paulo Diniz. Vc bem que podia colocar aí na música que toca sem parar. Abraço desse Zé.

líria porto said...

esse drummond me comove como o diabo...
besos

Primeira Pessoa said...

wilson,
a voz de drummond é de uma doçura (e de uma sapequice... uma gaiatice...rs) difícil de descrever, mas deliciosa de sentir.

e tinha muito da voz de drummond em sua poesia. mas também cheia de momentos firmes, verticais.

esse orgulho de ser mineiro é um velho conhecido meu.
já pensei até em me internar para me "curar" de um possível caso de bairrismo crônico.

a junta (médica) me rejeitou.
esse orgulho mineiro é incurável, nanini.
tem cura, não.

Primeira Pessoa said...

é lindo o nome de josé. e, quem nasce zé, não morre johnnie.... saiba-se sabedor disto, assis.

atenderei seu pedido.
aliás, pedido de amigo é uma ordem.

cê tem o mp3 de José? se não tiver, mando procê. falado e cantarolado.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

lírica,
ficou tão lindo quanto o não-soneto, a sua emenda.

mandou bem!

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) said...

De lima,
"José" de Dru-mundo...

Abraço MINEIRO,
Darrama.

nina rizzi said...

eu também me perguntava: e agora, nina rizzi?
mamãe respondia: caga não, joga fora e ri-se.

beijo.

Primeira Pessoa said...

ou, de quando "da rama"se derrama...
pra drummond...

é bom te receber por aqui.

beijão, poeta!

Primeira Pessoa said...

nina,
sua mãe manja tudo de rima.

beijão do
de lima.

REGGINA MOON said...

Roberto, boa tarde!

Adoro esse poema de Drummond...vc já leu Alice Ruiz em alusão a ele?Dummundana, é ótimo!

Sim, adoraria escutar A Música em Pessoa...não conheço, como me mandaria em mp3?

Obrigada pela visita!

Beijos!

Reggina Moon

Magnolia said...

Adorei...
bjs

Primeira Pessoa said...

regina,
passe-me seu email que mando por lá as canções do disco.
você será a terceira pessoa daqui do blog a receber as cantigas.
abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

magnólia,
drummond é um dos mestres da literatura brasileira. tenhop certeza de que você gostará muitíssimo da obra dele.
a net tá salpicada de poemas dele.
um mestre!

Magnolia said...

Já li muito Drummond, Roberto... Tenho por aqui a poesia completa dele e gosto muito
Bj