Wednesday, March 3, 2010

.




















2 poemas de
Sophia de Mello Breyner Andresen



Poesia

Se todo o ser ao vento abandonamos
E sem medo nem dó nos destruímos,
Se morremos em tudo o que sentimos
E podemos cantar, é porque estamos
Nus em sangue, embalando a própria dor
Em frente às madrugadas do amor.
Quando a manhã brilhar refloriremos
E a alma possuirá esse esplendor
Prometido nas formas que perdemos.



Porque



Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.


Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.


Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.


Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

21 comments:

Lídia Borges said...

Felicito-o pela selecção destes poemas.

Sobre "As amoras" surgiu-me agora uma dúvida. Estou em crer que já vi a autoria atribuída a Eugénio de Andrade. Terei de averiguar... Mas seja de quem for, é lindíssimo!

L.B.

Lara Amaral said...

Gostei de ler. Vc, com seu olhar clínico, sempre seleciona os bons e boas.

Beijos.

Fernando Campanella said...

Olá, Roberto. Descobri a poesia Sophia de Mello há pouco mais de dois anos. Maravilha de poeta. Traz o lirismo de Cecília Meireles, mas com voz própria. E que bela voz....

Vi algumas repostagens aqui de crônicas tuas que apreciei muito, meu amigo.

Quanto ao teu recado em meu blog, sobre o associar o som do oboé a um bucolismo, achei mais doido ainda, rs...porque sempre fiz essa associação também, de há muito, da pastoral de Bethoven, e por aí vai. Então, só tomei consciência disso quando li teu comentário. Escolhi o concerto para oboé de Mozart para homenagear Cecília em seu maravilhoso poema sobre a tarde no campo. Incrível como a criação se processa em um plano meio inconsciente, acho muito bom que assim seja.

Grande abraço, meu amigo.

Primeira Pessoa said...

lídia,
recolhi (ou, colhi)as amoras num site dedicado à sophia. será que é fruta doutro quintal? rs

fico feliz de te ter de volta neste espaço.
abração do

roberto.

Primeira Pessoa said...

larinha,
boa mesmo foi sua homenagem à líria porto, mulher que admiro tanto e que possui um latifúndio no meu coração.

beijão do
roberto.

Primeira Pessoa said...

fernando,
descobri o baú de sophia (rs) há não muito tempo. a poesia tem me quebrado enorme ganho.
to repostando as cronicas por dois motivos: primeiro, não tenho tido cabeça pra escrever nada novo (apesar de terem surgido ótimos motes), esmagado pelo compromisso de entregar um cargo no próximo mês. o que me fará enorme bem.

na minah prócima ida a BH te convidarei pro "recital" de uma segunda-feira.
e não aceito não como resposta.,

garanto: é satisfaçao garantida ou o seu dinheiro de volta.

abração, com a alegria serelepe de um flautim

do

roberto.


ps: que tal se começassemos uma brincadeira... associando intrumentos e seus sons, a determinados momentos e sentimentos de nossas vidas?

to afim de fazer isso faz um tempão...
nosso ponto de partida? o oboé... que traz até o cheiro do entardecer num lugar como aquele captado na sua fotografia...

vai querer ou vai correr?

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) said...

Roberto,
Descobri Sophia de Mello no cd Mar de Sophia de Maria Bethânia, que a recita do fundo de um oceano, braviamente. E descobri que conhecia Sophia de Mello havia um milhão de séculos já, ou a duração de meus cabelos...
E é muito bom descobri-la aqui também...

Abraço lusitano-mineiro,
Pedro Ramúcio.

Júlio Castellain said...

...
Parabéns, camarada.
Belíssimos.
Abraço.
...

Sofia Aguarela said...

Sophia é das minhas 'mestres da palavra' favoritas. O meu poema preferido dela é, sem dúvida, o «Porque».
Roberto, aqui sempre com selecções maravilhosas de poesia, é impressionante !
Gostei muito.

Sofia :)
Abração.

putas resolutas said...

sophia mello é uma grande poeta - soube dela por ocasião da sua morte - e me encantei com a sua poesia!

besos

Primeira Pessoa said...

da rama,
conheço esse disco da bethânia... de uma delicadeza ímpar... bethânia gosta de poesia... lembro-me dela recitando pessoa em seus shows... linda, a bethânia...

lindo, você.
abração do
r.

Primeira Pessoa said...

júlio,
sua presença é sempre um presente.
fico feliz que tenha vindo.
abração,
r.

Primeira Pessoa said...

sofia,
custei a postar a sophia. mas é algo que queria fazer há muito tempo. e vou repetir sempre que der.
sinto uma espécie de dever de compartilhar com os amigos as palavras que me emocionam.
com Shopia de Mello Breyner Andresen não seria diferente.

abraço amigo do
roberto.

Primeira Pessoa said...

lírica, nunca sei com que "roupa" você vem...rs
presença sempre benfazeja, a sua

beijão do
r.

REGGINA MOON said...

Roberto,

Considero Sophia uma das maiores poetisas de todos os tempos.Sua obra é clássica, com um certo rigor literário, e um romantismo peculiar que faz a sua marca em todos os seus versos.Parabéns pela postagem!

Deixo um Poema, singelo, mas que gosto muito:

Que nenhuma estrela queime o teu perfil
Que nenhum deus se lembre do teu nome
Que nem o vento passe onde tu passas.

Para ti criarei um dia puro
Livre como o vento e repetido
Como o florir das ondas ordenadas.

(Sophia de Mello Breyner Andresen)

Hoje poste um dueto do mesmo autor...rs

Beijos!

Reggina Moon

Primeira Pessoa said...

regina moon,
to na peleja... saio garimpando e tenho tido sorte de encontrar pérolas lindas...
publico aqui somente as coisas que gosto e fico feliz por encontrar pessoas que gostam da mesma coisa...
os iguais se encontram, né?

abração do roberto.

Magnolia said...

São três poemas lindissimos Roberto... Mas um deles nâo é da Sophia...podia ser....
Mas o Amoras é do Èugenio de Andrade de facto
Bjs

Jorge Pimenta said...

"Porque"... não há quem melhor conheça e pinte o mar que a nossa (do mundo) Sophia. Este, então, um dos mais belos poemas que alguma vez li...

Um abraço!

Primeira Pessoa said...

magnólia,
repostarei o poema"da "amora", dando ao autor o devido crédito. você não foi a primeira pessoa a chamar minha atenção para o erro cometido.
reparemos, então.
eugénio ficará feliz.
esteja ele aonde estiver.

abração do
roberto.

Primeira Pessoa said...

jorge,
o poeta pedro ramúcio me falou de um cd da maria bethânia que homenageia sophia...

se você não o tiver, compartilharei com você o "mar de sophia".

abraço imenso do
roberto.

Jorge Pimenta said...

Ufa, se não seria mágico tocar as ondas a bailar não apenas nos olhos, mas também nos ouvidos...
Um abraço!