Saturday, January 16, 2010

.

Cabe Um Mundo

Cabe um mundo dentro da bolsa de uma mulher.
De todos os lugares curiosos deste planeta, a bolsa de uma mulher é, certamente, um dos mais peculiares e misteriosos.
O que cabe dentro da bolsa de uma mulher?
Cabe uma desorganização organizada, comecemos por aqui.
Como conseguem colocar tanta coisa dentro daquele minifúndio, é uma pergunta que desafia as leis da física e da imaginação.
Cabe um telefone celular, certamente.
Cabe um batom.
Cabe uma escova para os cabelos, posto que mulher gosta e quer estar sempre bonita.
Cabe um perfume bom, um Dolcce Gabanna ou um Bulgari. Em alguns casos, cabem os dois. Ou três. A mulher moderna gosta de andar sempre perfumada.
Cabe também utensílios de beleza, lápis para realçar a cor dos olhos, rouge e carmim.
Produtos inerentes ao universo feminino abundam na bolsa desta mulher: lixa para as unhas, fio dental, absorventes higiênicos para eventuais emergências, comprimidos para dor de cabeça e TPM.
Cabe um estojo de lentes de contato ou de aparelho ortodôntico, daqueles usados na hora de dormir.
Na bolsa desta mulher cabe uma embalagem com lenços de papel, para momentos de emoção.
Cigarros de filtro branco – se esta mulher fumar -, chicletes de mentol, isqueiro e uma barrinha de chocolate.
Um amuleto. Uma oração para proteção. Um escapulário. Cabe uma fé.
Cabe um bloquinho para anotações onde ela aponta situações, citações e frases que a marcaram.
Cabe uma agenda bonita, destas que abundam nas papelarias, com capa de papel duro e de design de última geração.
Na agenda desta mulher estão endereços e números relevantes, receitas de beleza e dicas de compras.
Óculos escuros, certamente, tem o seu lugar garantido na bolsa de uma mulher destes tempos.
Na bolsa desta mulher encontramos ainda sua carteira, sempre cheia de coisas que vão desde recibos de lojas, a cartões de crédito e fotos de pessoas queridas.
Uma foto da pessoa amada povoa, certamente, a carteira da mulher moderna. Afinal, a mulher moderna ama. Ainda ama. É inerente a alma feminina o amor e tudo que lembre esse ofício cada vez mais difícil.
E cabe, então, uma carta de amor. Ou duas.
Cabe um amor, e todas as suas delícias e dores.
Na carteira desta mulher estão todos os seus documentos: carteira de identidade, de motorista e CPF.
Na bolsa desta mulher cabe um livro. Cabe uma revista, destas direcionadas ao público feminino. Cabe uma curiosidade insaciável.
Cabe um aparelho de MP3 com a trilha sonora de sua vida: cabe U2, Morcheeba, Seal, Caetano e Djavan. Um universo de canções.
Muito mais que objetos e coisas, a bolsa de uma mulher carrega sonhos, reminiscências dos tempos e lugares por onde sua dona plantou seus pés.
Não é inverossímel encontrar um postal de Matchu-Pitchu, um mexedor de mojito guardado como souvenir de uma passagem pela Bodeguita Del Medio, em Havana, uma caixa de fósforos do Balthazar em Manhattan, uma caneta com a logomarca de algum hotel de algum lugar distante de onde essa mulher possa viver.
Cabem reminiscência da infância e passagens marcantes do quintal de seus avós.
Cabe o sabor de uma carambola ou de um abacaxi no palito.
Cabe o vôo de uma ave. O arrebatamento prateado de um peixe. O afago de um cão.
Cabe uma brisa do mar do Caribe.
Cabe uma pedra catada da rua. Um anel de bijuteria e um colar.
Na bolsa desta mulher cabem saudades do passado e planos para o futuro.
Na bolsa desta mulher cabe a saudade do futuro.
E o futuro.
Na bolsa desta mulher cabe uma mulher que é ela própria.
Na bolsa desta mulher cabe um mundo.

*

20 comments:

líria porto said...

esse texto teu foi o primeiro que li! gostei e continuo a gostar!
besos

Primeira Pessoa said...

líria,
os "pessoais" que chegam agora ao blog não tem muita paciência de fuçar.
eu gosto dessa crônica e é provável até que eu reposte algumas que estão mais no início...
tem problema não, né?
beijão do
roberto.

Paulo Jorge Dumaresq said...

Traduziu bem, Roberto, as 1001 utilidades da bolsa de uma mulher. Invejo bastante a "bruaca" de uma dama. Bela crônica. Abração.

Lara Amaral said...

Mulheres têm de estar preparadas para quando cair seu mundo...

Gostei, Robertão!

Beijos.

líria porto said...

quando gosto de ler algo, leio muuuuuitas vezes - sou assim, preocupa não! cada leitura, outras descobertas...

besos

Iara na Janela said...

Quando li seu texto, tão lindamente crescendo em adereços, sentimentos e mundos, fiquei curiosa e fui ver o que danado eu carregava dentro da minha bolsa. Sim, porque, a cada item que vc citava, não conseguia reportar quase nada ao meu aparato quase nada feminino.

Listando:

- minha carteira, claro, um só cartão de crédito, apenas 4 reais (acredite), contas já pagas, papeizinhos de rascunhos, etc etc (uma bagunça);
- uma fralda descartável do meu filho posta lá há dias, quando fui com ele ao médico;
- um colar que tem umas pedrinhas lindas que ganhei da minha irmã (parece uma oferenda a Iemanjá, dei-lhe o nome, há uns 5 anos, de Yudá) (o que esse colar tava fazendo ali? foi Iago quem colocou por la...rs) (Iago: meu filhote);
- Grande Sertão: Veredas: que tô lendo;
- uma agenda, que tento há anos aprender a usar;
- um disco de Miles Davis de alguém que tô tentando esquecer;
- nenhum batom, perfume, cílios postiços, rímel ou todos esses quetais (vezemquando desconfio que nasci mulher por erro ou brincadeira...rs).

Não custa te alertar de uma coisa: atualmente, não há bolsa de mulher de seja "minifúndio" não, viu?! A isso acabei aderindo, fazer o quê?!

Ah...e se esse é um texto antigo seu, por favor, republique outros... quem não os leu também merece ter esse privilégio!

Beijos muitos!

*** Passa na minha Janela que tem poema novo!:) Mais beijos.

Primeira Pessoa said...

Paulo,
bolsa de mulher deveria ser tombado pela Unesco. Ou, então, interditado pela Onu, com direito a policiamento dos capacetes azuis.
Nunca vi trem tão medonho, em minha vida.
Às vezes acho que dentro da bolsa de uma mulher vive um jacaré.
abração,
Roberto.

Primeira Pessoa said...

Lara,
o que quer dizer com "preparadas"? (rs)
na bolsa da mulher de fernandinho Beira Mar foi encontrada uma escopeta...
Beijão do
Roberto.

Primeira Pessoa said...

Líria, se só uma passada de zóio sua me deixa feliz, imagina uma "rezoiada"?
uai... gostei demais da conta, sô.
beijão do
R.

Primeira Pessoa said...

Iara,
passei na sua janela e fiquei numa dúvida cruel: prosa ou poesia?
e decidi que gosto mais de você escrevendo as duas coisas.
respingou até manoel de barros... uma manoel de barros erotizado, digamos assim, em sua "sabência"....
gostei demais.
se homem usasse bolsa, nela caberia uma caixa de skol sempre geladinha, uma revista playboy da juliana paes, uma bola de futebol... e o que mais?
dá pra fazer um textículo bem humorado disso aí.
tô pensando no assunto.

beijão do
roberto.

ps: cê disse Grande Sertão? Ah, meus jesuscristinho... deu vontade de ir à casa de Guimarães... E com urgência.
E eu vou... Quero escrever algo falando das coisas que tem na casa onde ele vivia, perecendo de saudades dele. isso pode dar crônica.

Magnolia said...

Uma delicia como sempre estas tuas crónicas...
Beijo

Sofia Aguarela said...

Maravilha, Roberto, é isso mesmo !
Claro está que no meu caso não tenho propriamente um Mundo dentro da mala, tenho um Mundo nos bolsos e algibeiras e em sacolas. Um dia, mais tarde, vou reunir todas essas constelações e universos numa só mala.
Mulher que se preze anda de mala cheia - É a prevenção falando mais alto :)

Linda crónica, Roberto. Gostei muito muito.

Abraço,
Sofia.

Lara Amaral said...

Pois é, cada uma com seu legado, rs.

Primeira Pessoa said...

magnólia,
sua presença sempre nos animando a continuar com o blog.
você, como sempre, generosa, gentil...

agradeço.
de coração.

R.

Primeira Pessoa said...

Sofia,
ja andava sentindo a sua falta por aqui.
que bom que você veio, colocando um ponto de exclamação no nosso domingo.
obrigado pelo carinho.
R.

Primeira Pessoa said...

Pois é, Larinha...
Cada uma sabe o peso da bolsa que carrega, né não? ... rs
palavras sábias, as suas.
abração do
roberto.

LauraAlberto said...

Bom dia Roberto:
depois do seu lindissimo texto, penso que tenho a minha mala cheia de tudo, com um pouco de nada.
Beijinho

Primeira Pessoa said...

Laura,
sua presença aqui, sempre uma alegria.
Beijo grande do
Roberto.

Namorada Girassol said...

My dear,

Muito lindo isto...
Me senti lisongeada...
na minha bolsa concerteza cabe o mundo...
+ 06 bolsinhasr sssss...tudo subdivididinho direitinho.

Bjks sabor balinha perdida na bolsa ...rs

Primeira Pessoa said...

moça do girassol,
ah, vocês, mulheres e suas multibolsas...
com homem não tem nada disto...
e nem quero iniciar aqui uma discussão machista...
já imaginou de homem carregasse bolsa?
na minha você encontraria cigarro de palha, rapé, livros cheios de "orelha", cd's fora das respectivas capas, um sanduíche inacabado de pão com linguiça e... com um pouquinho de sorte, uma garrafa de pinga de salinas pela metade, e montes de contas contraídas por minhas filhas (aula de balé, violão, sapateado, mineirês e dialetos jamaicanos)...

ah, mulheres...
benditas seja vocês.

abração bem-humorado do
roberto.