Monday, January 25, 2010

.

















Ainda te falta

Ainda te falta
dizer isto: que nem tudo
o que veio
chegou por acaso. Que há
flores que de ti
dependem, que foste
tu que deixaste
algumas lâmpadas
acesas. Que há
na brancura
do papel alguns
sinais de tinta
indecifráveis. E
que esse
é apenas
um dos capítulos do livro
em que tudo
se lê e nada
está escrito.


(Albano Martins)

***

A Música Que Toca Sem Parar...

Hoje temos Abel Silva declamando A Flor e O Passageiro, de sua autoria.
Ao fundo, o violão impecável de Nonato Luís.

18 comments:

blog espiatório said...

essa beleza e simplicidade juntas chegam a doer!!!

besos

blog espiatório said...

a flor e o passageiro - noooooooossa!
besos

(esse blog espiatório só começou e está parado)

Primeira Pessoa said...

líria,
você fica bem até de blo espiatório...rs
que bom que gostou!

Iara na Janela said...

quantas profecias... linda linda poesia.

beijo.

Paulo Jorge Dumaresq said...

Roberto, belo esse poema do Albano Martins. Há muita vida e sensibilidade nos versos. Nele, vi a aventura humana retratada. Mais que gostei. Amei. Forte abraço.

Lídia Borges said...

Sim, vê-se a poesia passar, como uma deusa de luz, pelos meandros das palavras.
Gostei muito deste poema. Vou tentar saber mais do seu autor.

Obrigada!

L.B.

líria porto said...

é - de espiar, ficar de olho...
besos

Assis Freitas said...

Cara, não vou falar do poema do Albano, mas da poesia de Abel Silva. Essa a Flor e o Passageiro é de torar, mais bonita declamada que na faixa cantada. Desse disco, destaco também Sorriso breve (faixa 12). Eu tinha um livro de poesia do Abel, mas eu não sei que fim levou, nas minhas muitas mudanças. É o vatício do verso do cara aí de cima "nem tudo
o que veio/ chegou por acaso". Abraço.

Primeira Pessoa said...

Iara,
vu garimpando por aqui. e espero agradar os atentos, sempre.
por enquanto, está dando certo (rs).
nos próximos dias estarei postando maria gabriela llansol, a meu sentir, uma das maiores poetas da língua portuguesa em todos os tempos.
me aguarde.
abração do roberto.

Primeira Pessoa said...

paulo poeta,
sua sensibilidade me comove.
preciso dizer mais alguma coisa?
abração do roberto.

Primeira Pessoa said...

assis,
se você não tem mais o cd, posso te mandar faixa por faixa.
descobri no outro dia uma faixa do projeto Soro (orós de trás pra frente) em que ele recita Canção de Crioulos.
também posso mandar.
beijão do
roberto.

ps: mande no meu email seu telefone de contato. quero te ligar:

cronicasderobertolima@gmail.com

Primeira Pessoa said...

líria,
não conhecia essa sua vocação pra voyeur.

vou checar com afonso borges a disponibilidade dele.
quero abrir os olhos deles pra essa turma da blogolândia. e você é ponta de lança.

beijão do
roberto.

Primeira Pessoa said...

lídia,
os portugas inventaram, essa língua. sabem tudo dela.
nós, brasileiros, estamos no bom caminho.
a língua portuguesa é a língua mais linda que existe.
saiba-se sabedora disto.

abraço amigo
do
roberto.

Magnolia said...

Gosto destas tuas viagens pelos "meus poetas "
Beijo

Fernando Campanella said...

Curto muito a lírica portuguesa, algo que parece ser uma herança de alma em mim. Lindo o poema do Albano.

Linda Simões said...

Linda poesia.

Preciso vir aqui com mais tempo,para apreciar toda a beleza que aqui há.


E não esqueci da voz do David-Linda!

Pode me enviar alguma coisa dele?

anybrad@gmail.com

Um abraço,

Linda Simões.

Linda Simões said...

Roberto,

bom dia. Lindo esse poema do Albano.Já copiei no meu caderninho...


Obrigada por me apresentar o David aqui,fiquei mesmo encantada pela voz belíssima.

Um abraço

Vanessa G. Vieira said...

Lindo Blog. Parabéns pelo belíssimo espaço e pensamentos também!! Adorei essa poesia. Me soou como palavras simples que se engrandecem pela profundidade de seus significados! As outras impressões escrevo aqui depois!!! Abraços!!!